A tecnologia nas relações familiares

23 junho, 2020

Família é a célula vital da sociedade, é a primeira sociedade natural do ser humano. É na família que se constrói a personalidade da pessoa. É preciso amor, encorajamento para que a confiança seja adquirida, a fim de que o sujeito se torne ativo e integrante na vida e na sociedade.

De alguns anos para cá, a tecnologia vem ganhando espaço no meio familiar. Os celulares se tornaram uma extensão das pessoas. Não se sai de casa sem o aparelho de telefone. A evolução tecnológica transformou as famílias. A cena mais comum nos lares nos dias atuais, são os pais sentados no sofá mexendo nos seus smartphones, com a televisão ligada e cada filho no seu espaço. Até mesmo o diálogo sofreu transformações.

Marco Romanha morador de Cariacica, membro do Encontro de Casais com Cristo da Arquidiocese de Vitória, acredita no diálogo olho no olho, apesar de achar que não é uma pratica tão fácil de ser exercida nos tempos atuais.

“A internet pode dificultar os laços familiares se ela for instrumento de fuga. Acredito na possibilidade que temos de conseguir superar qualquer dificuldade, qualquer diferença de pensamento que exista, a partir do diálogo. A tecnologia não vai substituir essa conversa, porque o teclado, a tela, aceita qualquer coisa que seja ali digitado, e que muitas vezes, o olho no olho vai muito além daquilo que é dito. Uma expressão do olhar, uma expressão facial, uma atitude de paciência e de respeito é demonstrado muito claramente no diálogo”, ressaltou.

Para o Padre Renato Criste, pároco da Catedral de Vitória e coordenador da Comissão Vida e Família da Arquidiocese, é essencial um conhecimento mais profundo das ferramentas tecnológicas e uma reflexão mais intensa sobre os modos de educar.

“ É necessário, redescobrir e compreender o potencial humanizador da cultura cientifica e tecnológica. Detectar sua dimensão ética, em uma perspectiva capaz de promover a compreensão dos recursos e dos problemas da educação dos filhos e também dos relacionamentos familiares”, afirma.

Os impactos do uso da tecnologia na vida das famílias e das pessoas virá com o tempo, pois apesar de parecer que já estamos inseridos a muito tempo nesse mundo tecnológico, ainda é bastante recente a inserção digital na sociedade.

A tecnologia pode tanto ser positiva como negativa no seio familiar. No entanto, quem as usa que saberá o sentido e o significado a ser dado. É preciso usar da tecnologia para aproximar a família, criar laços fortes e permanentes.

“O uso da internet pode ser um facilitador para a família. Vivemos num tempo de muita informação, atividades, trabalho, estudo, diversas demandas para todos os membros, que acabam tendo que saber administrar bem o tempo. Se houver uma boa administração do tempo, a internet, a tecnologia, pode favorecer o convívio familiar. Na medida em que estão distantes podem combinar no grupo da família um momento de convívio, de estar junto, trocar ideias”, acrescenta Marco Romanha. 

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quinta-feira 29 julho
sábado 31 julho
domingo 1 agosto
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por