Onde não há fé dificilmente acontecem milagres

Lm 2,2. 10-14.18-19 | Sl 74(73) | Mt 8,5-17

A partir da Leitura do Livro das Lamentações, dom Dario Campos, Arcebispo de Vitória, lembrou que os clamores do povo no exílio não são algo do passado, mas lamentos muito presentes nos dias de hoje. Citou duas situações: as populações de rua que vem aumentando e as brigas e mortes pela terra.

O Arcebispo classificou a pobreza em dois sentidos: os que nasceram pobres e os pobres por não terem compromisso com o irmão.

Depois falou sobre a fé, lembrando que os pobres de quem fala a primeira leitura confiavam em Deus e com base na leitura do Evangelho deu como exemplo o Oficial Romano e a sogra de Pedro que obtiveram a cura por serem pessoas de fé.

Dom Dario colocou dois questionamentos: 1. “Para o Oficial Romano bastavam a Palavra de Jesus. E para nós quantas palavras bastam? Quantas palavras de Jesus são necessárias para que a gente mude o nosso modo de viver? 2. Ouvimos todos os dias a Palavra de Deus, mas a conversão interior é difícil, continuamos com os mesmos procedimentos. Onde está a fé que dizemos ter na Palavra”?

“Não importa quem somos, o que importa é a fé que temos e professamos, é ela que vai possibilitar os milagres acontecerem em nossa vida”.

“Quando temos fé, pequenos gestos são suficientes para provocar grandes transformações. Onde não há fé dificilmente acontecem milagres”.