Padre Zezinho deixa a paróquia Sagrada Família

31 julho, 2020

Com sentimento de gratidão e dever cumprido, pe.José Tozi (pe. Zezinho) deixa a paróquia Sagrada Família em Jardim Camburi.

“Escrevi o que meu coração sente por eles (fiéis) e me esforcei para não esquecer nenhum grupo. O povo é muito bom, cada um com seu modo de ser”, disse pe. Zezinho referindo-se à carta de despedida que fez aos paroquianos.

O padre destacou. “As fotos que publiquei revelam a lembrança de momentos bons. As crianças que me deixam feliz e o carinho que levo por todos está no gesto da mão dizendo adeus”. Outro destaque que pe. Zezinho lembrou, foi sua relação ao grupo de oração da Renovação Carismática Católica. Grupo inserido na paróquia que “foi um bálsamo” em sua experiência nestes 6 anos.

Padre Zezinho cumpriu sua missão durante 6 anos e 7 meses e acolheu sua saída cumprindo com a regra da Arquidiocese de permanecer na paróquia por 6 anos.

No próximo domingo, 2 de agosto, o padre despede da paróquia passando pela manhã em todas as 5 Comunidades com a distribuição da Sagrada Comunhão e duas missas às 18h e 19h na Matriz. Depois fica aguardando sua próxima missão, conforme conversa com o Arcebispo, dom Dario Campos. “Claro que estou sentindo sair porque aprendi a amar esta paróquia. Mas estou tranquilo e levo todos no meu coração”, disse o padre.

Enquanto padre Zezinho aguardo sua nova missão, padre Jorge Campos, reitor do Seminário Nossa Senhora da Penha, assume a assistência à paróquia, provisoriamente.

Obs. As fotos são as mesmas divulgadas por padre Zezinho que nos autorizou a publicar

Leia na íntegra a mensagem de despedida de padre Zezinho:

“Quem vos acolhe, a mim acolhe; e quem me acolhe, acolhe aquele que me enviou” (Mt 10, 40).

Amados irmãos e irmãs,

Queridos fiéis.

Após completar seis anos à frente da Paróquia Sagrada Família; em obediência ao senhor Arcebispo Dom Dario Campos, chegou a hora de partir.

Foram, na verdade, 6 anos e 7 meses de trabalho, dedicação e muito amor pela causa do Reino.

As sementes foram lançadas e, como diz a parábola:

“O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram. Parte dela caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra, e logo brotou, porque a terra não era profunda. Mas, quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. Outra parte caiu no meio dos espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas. Outra ainda caiu em boa terra, deu boa colheita, a cem, sessenta e trinta por um. Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça!” (Mt 13, 1-9).

Louvo e agradeço a Deus pelas sementes que caíram em terra boa e deram frutos. Umas mais outras menos conforme a disposição e as condições de cada um.

Louvo e agradeço a Deus por cada um de vocês que me acolheu e me amou.

Louvo e agradeço a Deus por todos os desafios que me proporcionaram crescimento, amadurecimento espiritual, intelectual e principalmente na fé.

Juntos vivemos momentos maravilhosos, seja nas celebrações cotidianas, seja nas festas e solenidades ou na celebração dos sacramentos.

Em cada gesto, em cada abraço, em cada irmão/irmã, experimentei o calor da amizade, do carinho e do afeto de todos.

No carinho e na ternura das crianças, experimentei o calor dos braços e abraços do Pai.

Na dedicação e zelo das pastorais, Equipes de serviços e movimentos, experimentei a ternura de Deus para com nossa Igreja.

Vocês são as pérolas mais preciosas que encontrei nesse terreno fértil e sedento do Reino.

Agradeço a todos e a cada um em particular por todas as maravilhas que juntos vivemos.

Rogo ao Senhor da messe que cuide de vocês com sua ternura e carinho para que continuem dando frutos.

Confio cada um e toda a Paróquia aos cuidados maternais da Santa Virgem Maria, a Senhora Aparecida, a Senhora das alegrias.

Nesse tempo de pandemia, lamento não poder abraçá-los com o carinho e a ternura do nosso Deus e Pai.

Saibam que os amei a todos com todas as minhas forças e com todas as minhas fragilidades.

As sementes não produzem da mesma forma em todos os terrenos e não me cabe a colheita. Basta-me a alegria de semear e a graça de o fazer.

Por ora, confortam-me as palavras de São Paulo: “Combati o bom combate e guardei a fé”. Não completei a corrida, pois uma nova missão me espera.

Peço PERDÃO a todos e a cada um vocês por minhas fraquezas.

Em meu coração e em minhas orações estarão para sempre cada um de vocês.

Agradeço novamente a todos e que as bençãos de Deus todo poderoso desçam sobre vocês e permaneça para sempre.

Fraternalmente em Cristo,

Padre José Tosi (Padre Zezinho)

Pároco.

Vitória, 31 de julho de 2020.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quinta-feira 24 junho
sábado 26 junho
domingo 27 junho
segunda-feira 28 junho
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por