Rumo aos 75 Anos da Campanha da Mãe Peregrina

16 junho, 2024

“O mundo brasileiro está à espera da Mãe de Deus, como a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, para a conquista deste país para o bom Deus para o Deus trino”.         (Pedra José Kentenich)

Esse final de semana, missionários da Campanha da Mãe Peregrina e diversas famílias que são contempladas por essa missão na Arquidiocese de Vitória se reuniram no Centro de Treinamento São João Batista, em Ponta Formosa, Vitória, para um momento de oração e formação, dando início à preparação dos 75 anos da Campanha da Mãe Peregrina.

A Irmã Mariane Calina, do Instituto Secular de Maria de Schoenstatt, foi quem conduziu o dia de oração e reflexão. Em uma de suas partilhas, trouxe um pouco da história de João Luiz Pozzobon. “Esta campanha começou com Pozzobon em 1950, quando a Irmã M. Terezinha Gobbo, na época responsável pelo Movimento de Schoenstatt no Brasil, entregou a Pozzobon uma imagem da Mãe Três Vezes Admirável para levar às famílias e com elas rezar o terço quando fosse possível”, recordou Irmã Mariane a história da Mãe Três Vezes Admirável.

A história do legado duradouro da Campanha da Mãe Peregrina, que tocou inúmeras vidas desde o seu início, é realmente inspiradora. Criada para promover a devoção à Mãe Santíssima através do Movimento de Schoenstatt, a campanha tem crescido exponencialmente, promovendo o crescimento espiritual e o vínculo comunitário.

Receber a visita da Mãe Peregrina é uma graça. “Quando a Mãe Peregrina chega em nossa casa, é uma festa, uma alegria. Toda vez que ela chega na minha casa, tem sempre muito trabalho para interceder,” relata Ângela Maria Rangel.

Dona Emília Álvares, outra participante, também deu seu testemunho: “A Mãe Rainha chega nas melhores horas, mas nas maiores horas de dificuldades de nossas famílias. A presença da Mãe Peregrina em nosso lar nos fortalece a cada dia. Hoje vim para esse encontro com meu marido e com meu pai, que tem 96 anos. Oramos juntos, e isso tem unido nossa família de uma forma muito especial.”

O amor a Nossa Senhora faz com que cada missionário leve a Mãe Peregrina a peregrinar na casa das famílias. “A cada casa que ela chega, ela leva o Filho nos braços, e nós perguntamos: Mãe, qual o vinho que falta na casa dessa família? É uma missão muito bonita. É árdua, encontramos muitos obstáculos, mas a nossa mãezinha não nos deixa sozinhos,” comenta a missionária Zilma Gomes Nicacio, pertencente à paróquia São Pedro da Praia do Suá.

Para encerrar todo esse dia de oração, aconteceu a Santa Missa, presidida pelo Diretor Espiritual da Campanha da Mãe Peregrina, Pe. Adenilson Schimit. Na homilia, ele enfatizou a importância da Mãe Peregrina na orientação dos fiéis e na transmissão da mensagem de esperança e amor a cada lar que visita. “A Mãe Peregrina é um farol de fé, lembrando-nos da presença de Deus na nossa vida cotidiana e encorajando-nos a viver os nossos valores cristãos,” disse ele.

Os participantes partiram conscientes do seu papel e com uma determinação mais forte de continuar a divulgar a mensagem da Mãe Peregrina. “A grande missão dos missionários é levar a Mãe para os lares, levando Jesus para dentro das famílias, tendo como missão principal levar essas trinta famílias para o céu,” ressalta a Irmã Mariane.

MOVIMENTO APOSTÓLICO DE SCHOENSTATT

O Movimento Apostólico de Schoenstatt faz parte da Obra Internacional de Schoenstatt, fundada pelo Pe. José Kentenich em 18 de outubro de 1914, em Schoenstatt, na Alemanha.

O ato da Fundação é a Aliança de Amor, selada pelo Pe. José Kentenich juntamente com um grupo de seminaristas Palotinos convidando a Mãe de Deus a estabelecer-se numa Capelinha e fazer dela um Santuário de graças, de onde partisse um movimento de renovação religioso e moral para o mundo.

As circunstâncias comprovam que Nossa Senhora aceita esse convite e leva a sério a consagração realizada. Em poucos anos a Mãe de Deus atrai muitas pessoas a este lugar de graças realizando prodígios de transformações nas almas.

A Obra é duramente provada no decorrer das duas guerras mundiais e também por meio das autoridades eclesiásticas. Tais dificuldades aprofundam ainda mais a espiritualidade própria de Schoenstatt e amadurecem o amor e a fidelidade à Igreja de todos os que se empenham por essa Obra.

A essência desta espiritualidade é a Aliança de Amor que os membros selam com a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, no Santuário. Essa Aliança é um meio eficaz para a vivência mais consciente da Nova e Eterna Aliança, na qual somos inseridos pelo Batismo. Por meio dela, podemos crescer numa profunda fé na Divina Providência e aproveitar as pequenas coisas do dia-a-dia como caminho de santidade.

Uma Obra de tão grandes dimensões tem seu ponto de unidade na Aliança de Amor com a Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt, na vinculação ao seu Santuário de graças e na fidelidade aos ensinamentos do Fundador, Pe. José Kentenich.

Acesse o site e conheça mais: https://www.maeperegrina.org.br/

 

Compartilhe:

VÍDEOS

segunda-feira 22 julho
terça-feira 23 julho
quarta-feira 24 julho
Nenhum evento encontrado!

Facebook