“Todos ficaram cheios do Espírito Santo”

23 maio, 2021

Marwin Amaral I “Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles” (At 2, 3).

A Solenidade de Pentecostes é celebrada cinquenta dias após a Páscoa. Essa festa tem origem na cultura judaica e é conhecida como Shavuot (ou Festa da Colheita): momento de agradecimento por todos os bens recebidos de Deus. Também rememora a subida de Moisés ao Sinai e a entrega das Tábuas da Lei.

Na tradição Católica, a celebração de Pentecostes acontece após o Domingo da Ascensão, e marca a descida do Espírito Santo sobre a comunidade nascente, de forma extraordinária sobre os fieis congregados:

“Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se. Residiam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações que há debaixo do céu. Quando ouviram o ruído, reuniu-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua” (At 2,1-6).

Se em Babel ouve a confusão das línguas e a dispersão dos povos (cf. Gn 11,1-9), agora, em Pentecostes, a divisão dos homens foi superada, pois nasce a Igreja, que é conduzida pelo próprio Espirito Santo, em cumprimento à promessa feita por Jesus quando ascendeu ao céu: “Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria e até os confins do mundo”. (At 1,8)

A ação e o auxílio dos dons do Espírito Santo propiciaram aos Apóstolos os dons necessários para exercer o trabalho missionário: sabedoria, inteligência, conselho, fortaleza, ciência, piedade e Temor de Deus. Assim se instaura a missão evangelizadora da igreja Romana. A solenidade de Pentecostes é então uma referência importante para a Igreja, pois marca o início da pregação Evangélica assim como sua graça transformadora, que, segundo o Papa Francisco é essencial para vida cristã “O Espírito Santo é a alma da Igreja. Ele dá a vida, suscita os diversos carismas que enriquecem o povo de Deus […]‘’[1].

Para que a ação do Espírito aconteça de forma eficaz e exerçamos com total empenho o chamado ao discipulado, é necessário cultivar a vida no Espírito para que recebamos os seus dons e os coloquemos a serviço do próximo: “[…] É assim que o Espírito Santo dota os cristãos, concedendo-lhes determinadas forças para além das suas aptidões naturais e dando-lhes a oportunidade de se tornarem instrumentos especiais de Deus neste mundo.”[2]. Constante oração, caridade aos irmãos, e pregação da Boa Nova do Evangelho são o ponto de partida para uma verdadeira intimidade com o Espírito Santo, que nos torna um com Ele: “[…] pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus” e “O Espírito mesmo dá testemunho ao nosso espírito de que somos filhos de Deus.” (Rm 8,14;16).

E se somos filhos de Deus, logo o “Recebei o Espirito Santo” (Jo 20,22) mostra a face amorosa de Deus que envia seu Paráclito para que sejamos sustentados, e para que o “ajudador” esteja conosco durante o nosso percurso nesta terra, e assim, munidos de sua graça, nos transformemos em verdadeiras testemunhas da força santificante que vem do alto.

Inebriados pelo Espírito Santo, nossa atitude deve ser de comunhão e unidade, pois quando nos abrimos humildemente ao dom divino do Espírito, passamos a enxergar o outro como irmão, como nosso semelhante, buscando o caminho da concórdia, do amor e da paz: “Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz. Sede um só corpo e um só espírito”(Ef 4.3-4a). Congregados como irmãos pelo Espírito, nossa atitude deverá ser sempre de clamor e súplica, desejosos que este Espirito se faça presença constante em nossa vida. Para tal contamos também com auxilio e intercessão poderosa de Maria:

“Tendo entrado no cenáculo, subiram ao quarto de cima, onde costumavam permanecer. Eram eles: Pedro e João, Tiago, André, Filipe, Tomé, Bartolomeu, Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelador, e Judas, irmão de Tiago. Todos eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, entre elas Maria, mãe de Jesus, e os irmãos (primos) dele.” (At 1,13-14)

 Podemos sempre contar com seu materno patrocínio, segundo Frei Cantalamessa: “[…] Maria, que se apresenta aos pés da cruz como Mãe da Igreja, aqui, no Cenáculo, aparece para nós como madrinha. Uma madrinha forte e segura. A madrinha, para poder desempenhar este papel, deve ser alguém que já tenha recebido o batismo. Assim foi Maria: uma batizada no Espírito Santo que agora aguarda a Igreja ser batizada no mesmo Espírito”[3].

Que o Pentecostes possa ser perene em nossas vidas, e que reacendamos por meio do Espírito a esperança dos nossos irmãos e irmãs, tal e qual os apóstolos, que de homens limitados com seus medos e frustações se tornaram verdadeiras testemunhas do Cristo. Viver a solenidade de Pentecostes é viver iluminado pelo Espírito Santo.

Roguemos a Cristo para que, inundados pelo Espírito de Deus, possamos fazer a experiência diária do Pentecostes. Que Ele venha em nosso socorro sempre que clamado: “Vinde Espirito Santo, enchei os corações dos vossos fieis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito….’’.

Marwin Amaral Martins

Seminarista do 1º ano de Teologia.

Paróquia de origem: São João Batista – Sede – Cariacica.

Paróquia de estágio pastoral: Bom Pastor – Praia da Costa – Vila Velha.

[1] PAPA FRANCISCO. Homilia na Santa Missa na Catedral Católica do Espírito Santo – Istambul (29-11-2014). Disponível em: <http://www.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2014/documents/papa-francesco_20141129_omelia-turchia.html>. Acesso em 22 maio 2021.

[2] IGREJA CATÓLICA. Youcat: Catecismo Jovem da Igreja Católica. 2 ed. São Paulo: Paulus, 2017. nº 310.

[3] CANTALAMESSA, Raniero. Com Maria no Cenáculo à espera do Espírito Santo: terceira pregação de Pentecostes. Disponível em:< https://pt.aleteia.org/2019/06/09/com-maria-no-cenaculo-a-espera-do-espirito-santo/>. Acesso em 22 maio 2021.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quinta-feira 24 junho
sábado 26 junho
domingo 27 junho
segunda-feira 28 junho
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por