4º dia do Oitavário

20 abril, 2022

Foto: Maria da Luz

Na reflexão deste 4º dia do oitavário da 452ª Festa da Penha, Frei Alessandro Dias, da Fraternidade do Convento da Penha, explicou o tema escolhido para hoje (20) ‘Saúde da Fé’. Ele explicou que a Fé do cristão precisa ser enraizada e muitas vezes se essa Fé não for vivida de forma madura, ela pode nos adoecer. Inclusive ele citou a presença de Dom Dario nesta manhã no Pronto Atendimento de Alto Lage, em Cariacica, onde a imagem peregrina de Nossa Senhora da Penha fez uma visita aos trabalhadores. Neste ano o tema principal da Festa da Penha é “Saúde dos Enfermos, rogai por nós”.

“Ali é uma região muito sofrida do povo de Cariacica, o PA tem uma demanda muito grande, muitas pessoas precisam de saúde. E naquele hospital muitas vezes lotado, tem muita gente trabalhando incansavelmente porque sempre tem movimento e que hoje tiveram a alegria de ter a presença da imagem peregrina de Nossa Senhora. O povo ficou tão feliz, os agentes de saúde. A presença singela da imagem de Nossa Senhora. A imagem de Nossa Senhora não é mágica, é um ícone. É uma imagem que nos lembra de Maria, mãe de Jesus que intercede por nós. E olha como é importante uma Fé madura”, afirmou o frei.

Foto: Maria da Luz

Crianças vestidas de anjos e homens colabores do Convento finalizaram as homenagens deste primeiro momento. Com a presidência do padre Alexandre Ferreira, Administrador paroquial da paroquia São José, de Guarapari, a Área Benevente da Arquidiocese de Vitória animou a Celebração Eucarística. Estiveram presentes seminaristas, diáconos e padres representando as paróquias da área.

Padre Rafael Martins, pároco da paróquia São Pedro, em Muquiçaba, fez a homilia e começou sua reflexão cantando a música Maria de Nazaré junto com todo o povo que lotou o Campinho do Convento. Ele destacou a Fé do povo, a Fé na Virgem Maria que traz até nós o salvador. Falou sobre a saudade de estarmos reunidos, os dois anos de pandemia, 2 anos de desespero, 2 anos de angústia, 2 anos de tristeza e da alegria de neste ano estarmos manifestando nossa Fé no Deus Salvador e na Virgem Maria presencialmente.

“E a liturgia de hoje nos mostra exatamente isso, em quem nós estamos depositando nossa Fé, quem estamos escutando. Este evento da Paixão do Senhor foi grandioso para a época, porque um homem inocente que não tinha pecado, o homem que fez o bem, anunciou o Reino de Deus e foi crucificado e quantas vezes nós queremos fazer o bem e somos crucificados, apedrejados”.

O sacerdote chamou a atenção de que as pessoas só vão reconhecer Jesus quando abrirem o seu coração para a Palavra de Deus e ver a Eucaristia. “Porque antigamente era assim, as pessoas vinham para Igreja e mesmo se a as pessoas não comungassem elas falavam assim: ‘você viu a hóstia’? Ou seja, elas viam Jesus e hoje quantas pessoas não querem ver mais Jesus? E quantas pessoas que estão perdidas nesse mundo? E nós somos chamados a sermos testemunhas do reino, testemunhas de Jesus Cristo”.

Foto: Maria da Luz

Enquanto era aplaudido pelos presentes padre Rafael também afirmou: “se você não reza, se você não lê as sagradas escrituras a sua Fé é morta, é uma Fé vazia, uma Fé que não vai te levar a nada, sua vida não tem sentido se você não abrir seu coração à palavra de Deus, para adorar Jesus no altar. Sua vida não tem sentido e sua morte será em vão. Meu irmão e minha irmã é por isso que quando o discípulo subiu ao templo e curou aquele coxo qual foi o nome que eles usaram? ‘Eu não tenho ouro, nem prata, mas o que eu tenho te dou: Jesus de Nazaré, seja curado. Por isso o nome de Jesus quando é proclamado com Fé cura, liberta, salva, e nos leva a salvação, nos leva a luz”.

Foto: Maria da Luz

Antes de finalizar padre Rafael ainda citou que o Campinho do Convento estava até cheio e poderia estar muito mais, porém muitas pessoas trabalham. “Mas quantas pessoas não querem mais saber de rezar, não querem saber mais de Jesus Cristo, não querem saber mais de Deus? Meu irmão e minha irmã é Cristo que nos chama, é Cristo que caminha conosco. Olha o que nós vivemos nestes dois anos. Quantas pessoas que você perdeu na vida? Quantos conhecidos? Quantos parentes você perdeu? As vezes até você ficou entre a vida e a morte e hoje está aqui para agradecer”. A homilia foi finalizada com a música ‘Jesus, neste nome há poder’.

Na homenagem à Nossa Senhora da Penha prestada pela Área Benevente – que compreende os municípios de Guarapari, Anchieta e Alfredo Chaves – foi lido um texto falando sobre a história entre São José de Anchieta, Frei Pedro Palácios e Nossa Senhora. As relíquias de São José de Anchieta, padroeiro da área, foram levados ao altar enquanto foi entoado um canto baseado em seus versos “A ALEGRIA DA MÃE NA RESSURREIÇÃO DO FILHO”. Dois homens representaram um padre e São José de Anchieta e uma criança representou um índio no meio dos fiéis.

Amanhã 7h, 9h e 11h tem missa no Campinho; às 10h acontece o plantio da muda de uma árvore em homenagem aos profissionais da área da saúde e da ciência na subida do Convento da Penha; às 14h tem o Programa Salve Mãe das Alegrias; às 15h30, o Devocional oitavário; às 16h, a Missa do 5º dia oitavário com a Área Pastoral Serra-Fundão e às 19h30, apresentação cultural da Banda Big Beatles com participação do Padre Anderson Gomes.

Reveja a homenagem:

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

sábado 28 maio
terça-feira 31 maio
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por