7º dia do Oitavário

23 abril, 2022

Este sábado (23) está marcado na Festa da Penha 2022 pela a retomada e realização das tradicionais Romarias. Logo pela manhã uma ampla programação aconteceu em Vila Velha. Após dois anos, a Romaria das Pessoas com Deficiência retornou para as ruas da cidade celebrando 15 anos de amor, fé e devoção a padroeira dos capixabas. Os remadores também saíram em romaria da Praia do Ribeiro, em Vila Velha, com destino a Prainha para participar da Festa da Penha deste ano. A Diocese de São Mateus prestou sua homenagem à Virgem das Alegrias subindo até o Campinho do Convento, onde encerrou sua romaria com uma missa e os adolescentes das áreas pastorais da Arquidiocese de Vitória fizeram a casa da mãe ficar mais alegre e contagiante com sua romaria e missa no Campinho.

No 7º dia do oitavário o tema refletido foi “Maria, caminho de saúde e salvação” e na homenagem à Maria foi lembrado de um dos símbolos que podemos usar na nossa devoção mariana. Na dinâmica preparada pela organização da Festa da Penha, mulheres, jovens e um adolescente foram passando o terço de mãos em mãos no altar e uma mulher entrou cantando a música “O terço” de Roberto Carlos e todos se voltaram para a imagem de Nossa Senhora da Penha. A missa das 16h foi conduzida pela Diocese de Cachoeiro de Itapemirim que veio em romaria com 30 ônibus, 15 vans, 2 micro-ônibus, sendo um total de 2 mil fiéis que vieram prestar sua homenagem à padroeira do Espírito Santo.

A acolhida foi feita pelo padre Maroni que ressaltou a saudade de estar no Convento da Penha celebrando a festa e destacou as dificuldades impostas pela pandemia, afirmando que passamos pelas paixões e pelo sofrimento, mas hoje todos estão com o coração cheio de vida e de esperança por serem filhos da vida e estarem celebrando em Vila Velha. “Assim que queremos celebrar esta Festa de Nossa Senhora da Penha e assim que a Diocese de Cachoeiro veio aqui com essa disposição, como hoje de manhã a nossa querida irmã Diocese de São Mateus e amanhã a Diocese de Colatina e a Arquidiocese de Vitória todos os dias presentes nos devotos de Nossa Senhora da Penha”.

A presidência da Santa Missa foi do bispo de Cachoeiro Dom Luiz Fernando Lisboa, que logo no início já disse: “Jesus ressuscitou aleluia, aleluia, Estamos aqui para com muita fé celebrar a eucaristia e queremos faze-lo por que somos peregrinos, somos povo de Deus que caminha como a mãe Maria. Ela que nos ensina que temos que fazer tudo que Jesus nos disser, e nós queremos obedecer, queremos seguir o seu filho Jesus. Ela sempre nos encaminha para ele”.

A Animação ficou sob responsabilidade de Eliane, da Comunidade São Judas Tadeu – Paróquia São Sebastião; a Primeira Leitura (At. 4, 13-21) foi lida por Luciene da Comunidade Nossa Senhora das Graças – Paróquia São Sebastião; o Salmo (117) foi cantado pelo Grupo de Música – Paróquia Nosso Senhor dos Passos; O Evangelho (Marcos 16, 9 -15) foi proclamado por um Diácono e as Preces da Comunidade foram feitas por Etelvina da Comunidade Nossa Senhora de Fátima – Paróquia São Sebastião.

No começo de sua homilia Dom Luiz Fernando destacou o momento difícil pelo qual passamos e afirmou: “queremos confirmar nossa esperança em tempos novos e pedir ao Senhor ressuscitado pela intercessão da Virgem da Penha para que alcance as milhares de famílias em nosso Estado do Espírito Santo e no país inteiro que perderam seus entes queridos por causa da pandemia, suplicando a graça divina sobre todos que se dedicam a assistência aos doentes nos hospitais e em suas casas. De modo especial queremos agradecer a todos os trabalhadores e trabalhadoras da área da saúde”.

O bispo também destacou o tema desta 452ª edição da Festa da Penha: “Saúde dos enfermos, rogai por nós”. “Ao longo de todo o seu ministério Jesus encontra enfermos em seu caminho. Jesus não vê a doença como se essa fosse uma retribuição demasiado estreita, ou seja, a crença que ligava mecanicamente a doença com o pecado, próprio ou dos pais. Ou o doente cometeu um pecado ou os pais o cometeram. Era essa a mentalidade. Diante da doença, Jesus sente compaixão e essa compaixão o move à ação. Compaixão e ação. Quem sente pena, sente dó, não faz nada, passa adiante. Jesus nos ensina a ter compaixão e quem tem compaixão faz alguma coisa e leva a ação”.

Citando a mensagem do Papa Francisco para o 28º Dia Mundial dos Enfermos em 2020, Dom Luiz Fernando enfatizou que além das enfermidades físicas o mundo de hoje tem adoecido diante da guerra e dos riscos do enfraquecimento da democracia e citou outra fala do pontífice, na audiência geral do último dia 23 de março ‘com a guerra tudo se perde, tudo, não há vitórias em uma guerra. Todo mundo é derrotado’. E pediu: “que o Senhor envie o seu espirito para que possamos entender que a guerra é uma derrota para humanidade e nos libere dessa necessidade de autodestruição. Da mesma forma irmãos e irmãs que Deus nos livre de retrocessos em nosso País, que todos e todas respeitem a democracia, que haja respeito pelas instituições basilares da democracia, que todos entendam que a constituição é para ser respeitada e cumprida por todos e todas, porque também vivemos em tempo de doença dos excessos, dos exageros, da falta de respeito pelos outros, da falta de diálogo, de polaridades, que nos deixam cegos, surdos e incapazes de dialogar”.

E finalizou sua reflexão afirmando: “Anúncio e denúncia esta é a nossa missão. Nós que queremos seguir a Jesus e sermos continuadores da sua missão. Que o nosso olhar seja iluminado pela presença do Ressuscitado que nos faz corajosos. Mais do que nunca é tempo para ter coragem, para pedir a Deus coragem. E que nossas mãos sejam sempre operosas e disponíveis para assistir os que mais precisam. Aqueles que precisam de ajuda, de presença, de carinho, de assistência e de lucidez. Quanta gente precisa de lucidez, porque vivem como se cegos estivessem, vivem como se surdos estivessem. Precisamos de lucidez, dai-nos senhor lucidez. Neste oitavário de Nossa Senhora da Penha supliquemos a Virgem das Alegrias, senhora voltai para nós vosso olhar Santa Mãe de Deus e alegrai-nos com a força e o vigor do evangelho de teu filho Jesus Cristo, ressuscitado. Nossa Senhora Saúde dos enfermos, rogai por nós. Assim seja”.

Ao fim da Santa Missa a Diocese de Cachoeiro prestou uma homenagem à Nossa Senhora da Penha. Duas crianças subiram ao altar levando em suas mãos um coração – representando o coração da Virgem e mãe que acolhe as preces de todos que rogam pela saúde, pela educação e pela Paz. Logo em seguida entrou uma pessoa com jaleco da saúde segurando uma faixa com a frase “Maria, caminho de saúde e salvação”, e depois outra pessoa com jaleco da educação também segurando uma faixa com a frase “Maria, modelo de educadora na sabedoria e no amor” e por fim uma pessoa entrou com a bandeira da Paz, onde todos foram convidados a erguer suas mãos ou acenar com um lenço branco no clamor pela saúde, pela boa educação, e pela paz no mundo, enquanto se cantava o hino da Virgem das alegrias.

Ainda hoje acontece a aguardada Romaria dos Homens que tem missa de envio às 18h na Catedral de Vitória. Às 23h está programada a Missa de encerramento desta romaria no Parque da Prainha, em Vila Velha. Neste domingo (24), o 8º dia do Oitavário vai refletir o tema “Saúde Integral”.  Às 5h, 7h, 11h tem as Missas presenciais no Campinho; às 9h, Missa com a Romaria da Diocese de Colatina; às 14h tem o Programa Salve Mãe das Alegrias; às 15h, Romaria das Mulheres com saída do Santuário de Vila Velha; às 15h30 – Devocional Oitavário e às 17h Missa de encerramento da Romaria das Mulheres, no Parque da Prainha, em Vila Velha, onde logo após acontece o show da cantora Fafá de Belém.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quarta-feira 18 maio
quinta-feira 19 maio
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por