Beberam do cálice do Senhor e se tornaram amigos de Deus

4 julho, 2021

André Cardoso I “Eis os santos que, vivendo neste mundo, plantaram a Igreja, regando-a com seu sangue. Beberam do cálice do Senhor e se tornaram amigos de Deus” (Missal Romano).

Neste dia em que, com muita alegria, a Igreja celebra a Solenidade de São Pedro e São Paulo, recordamos as duas colunas da Santa Igreja de Cristo que, que, pelo testemunho das suas vidas, governaram a Igreja e anunciaram o Evangelho a todos os povos.

Na Primeira Leitura (At 12, 1-11), percebemos como, de fato, Deus cuida e zela por quem é fiel e confia no seu poder. Pedro – que está acorrentado e preso numa prisão – não se deixa abalar pela situação que está passando, mas confia em Deus com todo o seu coração. Deus então ouve o clamor da Igreja, dos fiéis reunidos, que rezam ardentemente para que Pedro fosse liberto: o Senhor envia o seu anjo para libertar Pedro das mãos de Herodes. Pedro faz uma experiência profunda com o amor e o cuidado de Deus, e por fim exclama: “Agora sei, de fato, que o Senhor enviou o seu anjo para me libertar”.

Na Segunda Leitura, ouvimos uma belíssima passagem da carta de São Paulo a Timóteo (2Tm 4, 6-8.17-18). Paulo já entende que a sua missão estava prestes a ser completada, mas deseja, juntamente com Pedro, continuar perseverante e fiel na missão que o Senhor lhe havia confiado. Os dois santos não largaram o arado, não olharam para trás e não desanimaram no caminho. Por isso Paulo, com confiança diz: “Combati o bom combate, completei a corrida, guardeia a fé”: Fé essa que guardamos e sinceramente professamos até hoje, em toda Santa Missa.

Pedro e Paulo – ambos entre provações e lágrimas -, fielmente plantaram a Igreja de Cristo, como pastores solícitos pelo rebanho, buscando não o próprio interesse, mas o de Jesus Cristo. De um lado, Pedro, que recebeu de Jesus o nome de Pedra, e foi colocado a frente do colégio dos Doze e de todos os discípulos de Cristo. Do outro, Paulo, que após ser alcançado pelo Senhor na estrada de Damasco, pregou o Evangelho incansavelmente pelas principais cidades do império Romano e fundou inúmeras igrejas. Ambos viveram profundamente o que pregaram, e pregaram o Cristo com a palavra e a vida, dando tudo por Ele, como exclama Paulo: “Pra mim, viver é Cristo” (Fl 1, 21); e Pedro: “Senhor, tu sabes que eu te amo” (Jo 21, 15b). Em Jesus apostaram tudo, e por Jesus gastaram a própria vida.

Por fim, ao terminarem a corrida, receberam a maior de todas as honras e glórias: ambos beberam o cálice de Cristo, pelo martírio, para que o nome de Jesus Cristo fosse glorificado, e sua Igreja, regada por pelo sangue desses que a plantaram, fosse cada vez mais fecunda e rendesse cada vez mais bons frutos. Pelo seu exemplo e vida, meus irmãos e minhas irmãs, celebremos esta Solenidade de Pedro e Paulo, que são nossos modelos de fé e fidelidade.

André Cardoso Lopes

Seminarista do 1º ano de Filosofia.

Paróquia de Origem: São Tiago Maior – Setiba – Guarapari.

Paróquia de Estágio Pastoral: São Francisco de Assis – Porto de Santana – Cariacica.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quarta-feira 27 outubro
quinta-feira 28 outubro
sexta-feira 29 outubro
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por