Calendário do Ano Litúrgico 2021

11 novembro, 2020

O Ano litúrgico não é uma ideia, isolada, mas é uma realidade concreta de uma pessoa, Jesus Cristo é o Mistério realizado no tempo e que hoje as Comunidades celebram como Memória do Ressuscitado. O Mistério de Cristo foi entendido e celebrado liturgicamente pela Igreja no decorrer dos séculos seguindo critérios que vai da concentração à distribuição, e pelo qual se passou progressivamente do todo considerando a Páscoa de Cristo, para a experiência de cada um do Mistério de Deus revelado em Cristo. “Deus tanto amou o mundo que entregou o seu Filho único” (Jo 3,16).

O tempo da liturgia do hoje revela a graça do amor na palavra presente na vida. Refletir sobre este hoje da graça, é perceber todo o alcance da história da salvação. Que é o Mistério pascal de Cristo, centro e coração do Ano Litúrgico, a partir do ponto central, Paixão e Ressurreição de Cristo, fonte central de salvação trazida a todos os homens de todas as épocas. Deus aceitou a auto despojamento e a obediência de Cristo até a morte de cruz como sacrifício de expiação e de reconciliação, ressuscitando-o dos mortos e glorificando-o (cf. Fl 2,6-9). O Vaticano II designa esta obra de Cristo, por diversas vezes, como: «Mistério Pascal», em vista da festa da páscoa judaica durante a qual Jesus foi crucificado.

Assim cada Ano Litúrgico constitui uma vivência do Mistério total de Cristo, ressaltando em cada tempo ou em cada festa um aspecto do mesmo, Mistério que é celebrado. O Mistério Pascal é o cerne, o coração de toda a liturgia e, consequentemente, de todo o ano litúrgico, que é determinado pelas celebrações dos mistérios da redenção. É a fonte cujas águas correm através dele; é o ponto central em torno do qual gira todo o ciclo litúrgico. Em resumo: Desde o Advento, passando pelo Natal, Epifania, Quaresma, Semana Santa, páscoa, Ascensão, Pentecostes, Tempo Comum, o Mistério da Igreja comemorado também nas festas dos Santos e santas, são também um Cântico dos Cânticos em honra da Páscoa do Senhor.       

Ele é compreendido no Mistério pascal de Cristo, presente na história da humanidade. Embora seja um fato do passado tem dimensão supra temporal que nos permite fazer a experiência no hoje. O evento salvífico não se restringe, ele é aberto a todos os homens e mulheres em todos os tempos e lugares, que nos remete fazer memória «anamnese» litúrgica. Ele celebra sempre o Mistério de Cristo como centro da história da Salvação, não de modo genérico, mas em seus diversos momentos e episódios. Dentro da caminhada de todo o Ano Litúrgico celebra-se o Cristo, encarnado que veio ao encontro dos seres humanos. Mas para que esse Mistério seja celebrado de Domingo a Domingo, é necessário que haja uma integração de corpo, alma e coração, como seres que participam Ativamente desse mesmo Mistério. É preciso ter a presença do ser humano que celebra, na Liturgia o eixo que conduz para a centralidade daquilo que é celebrado, no decorrer de todo o Ano. Durante todo o Ano é preciso dar sentido mistagógico na sua totalidade do Mistério.

A Mística do Ano Litúrgico

–      O Ano Litúrgico é celebração do único Mistério de Cristo, sob vários aspectos;

–      O Ano litúrgico celebra o Mistério de Cristo, que entrou na história e na vida dos homens;

–      A Mística introduz as pessoas cada vez mais para dentro do Mistério pascal;

–      O Mistério de Cristo na perspectiva do Mistério pascal;

–      A economia da Salvação, no plano divino que se realiza na história;

–      Jesus Cristo é centro, princípio de união da história da Salvação e do Ano Litúrgico;

–      O evento histórico da Salvação é único e irrepetível;

–      Ano Litúrgico é um momento do grande ano de graça da redenção;

Para que a mística aconteça é necessário integração da totalidade do ser: corpo, alma e espírito. Que exista uma harmonia de todo o ser; o corpo com seus gestos e ritos – uma profunda harmonia que esteja entrelaçada com todo o ser – mente e sentido estritamente ligados entre si – coração fonte de toda a espiritualidade, a ele cabe sentir e saborear o Mistério que é celebrado durante todo o Ano Litúrgico. Como sinal da presença e ação salvífica de Deus, que é imagem do Corpo Místico de Jesus Cristo, único e verdadeiro templo alicerçado como pedra viva para oferecer sacrifício novo (cf.Jo 2,19 e 21). Por isso, a Igreja-edifício é sinal da Igreja-comunidade, assim este edifício não é uma construção qualquer: mas é sinal da Igreja peregrina, é imagem da Igreja celeste.  

1 – Cada tempo Litúrgico tem seu aspecto profundo;

2 – A graça do Ano Litúrgico pressupõe a natureza;

3 – Ano Litúrgico como caminho, de dimensão humana e espiritual;

4 – Uma espiritualidade que não centraliza uma particularidade;

5 – Perceber o Mistério de Cristo no presente;

6 – O Ano Litúrgico não se limita a contagem dos meses do Ano;

7 – O perigo é reduzir os tempos do Ano Litúrgico em datas e horas;

Ao tempo celebrativo da Igreja da o nome de Ano Litúrgico. Ele está organizado em ciclos festivos, onde se celebra o Mistério da Vida, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. O dia primordial para o cristão é o Domingo; os cristãos, à semelhança dos judeus, consagraram também um dia por semana para as celebrações de seus mistérios. A escolha recaiu no primeiro dia da semana, dia em que Cristo Ressuscitou dos mortos, dia que recorda a criação em Cristo, o recapitulador da história. Por isso, além de ser o dia do Senhor, Ele é também o dia do ser humano que busca viver a liberdade.

O domingo celebrar a páscoa de Cristo na páscoa semana dos cristãos, é dia da assembleia reunida, dia de celebrar o Mistério Eucarístico, dia da alegria, dia de estar com a família e da missão e da caridade. Por isso Para cada momento especifico dentro do Ano Litúrgico há símbolos e ritos próprios. Os tempos Litúrgicos especiais, que são Natal e Páscoa, são vividos pela Igreja em três momentos distintos: preparação, celebração e continuação da celebração do Mistério de Cristo. Todo o Ano Litúrgico ganha um caráter mistágogico do Mistério de Cristo, que nossas comunidades celebram, esse Mistério de Cristo se desdobra por todo o ciclo anual, desde a encarnação e nascimento até a ascensão do Senhor ao Céu.

Os ciclos do Ano Litúrgico se manifesta ao longo de todo o ano, o documento 43 da CNBB, diz que: “A Páscoa e as alegrias de celebrá-la são grandes demais para caberem nos limites de um Domingo” ( Doc. 43 n. 121).  

Em anexo o Calendário do Ano Litúrgico 2021 elaborado pela Comissão para Liturgia e Ministérios da Arquidiocese de Vitória.

Mais informações:

(27) 3025-6265 / (27) 99727-2637

E-mail: [email protected]

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

sexta-feira 6 agosto
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por