Celebração da Páscoa: 3ªParte

17 abril, 2022

A Catedral de Vitória recebeu na noite deste Sábado Santo grande número de fiéis que acompanharam a Celebração da Páscoa desde 5ªFeira Santa. Hoje é a grande noite! Em vigília aguardamos a Ressurreição de Cristo Luz do mundo.

A simbologia da luz foi trabalhada nesta Celebração em diversos momentos: Bênção do fogo, acendimento do círio pascal, acendimento das velas e por fim o acendimento das luzes da Catedral.

O silêncio da Sexta-Feira Santa foi totalmente preenchido com a explosão dos cantos de alegria que também se manifestou nas expressões alegres dos fiéis que se colocam, neste tempo, em sintonia com a Vitória de Cristo.

O círio pascal foi compartilhado ao fornecer a luz para acender as velas dos fiéis e os círios das comunidades, que por este sinal, afirmam comunhão com a paróquia.

Coordenadores das Comunidades acenderam as velas no Círio Pascal e juntos compartilharam a luz com os fiéis. A Catedral acolheu o povo em procissão com as velas e as luzes mantiveram-se apagadas até o canto do Glória.

As velas mantiveram-se acesas enquanto pe. Renato Proclamava a Páscoa (Precônio Pascal), cantando:

Exulte, Precônio Pascal

Exulte de alegria a multidão dos Anjos

Exultem as assembleias celestes

Ressoem hinos de glória para anunciar o triunfo de tão grande Rei

Rejubile também a terra, inundada por tão grande claridade

Porque a luz de Cristo, o Rei eterno

Dissipa as trevas de todo o mundo

Alegre-se a Igreja, nossa mãe

Adornada com os fulgores de tão grande luz

E ressoem neste templo as aclamações do povo de Deus

E vós, irmãos caríssimos

Aqui reunidos para celebrar o esplendor admirável desta luz

Invocai comigo

A misericórdia de Deus onipotente

Para que, tendo-Se Ele dignado, sem mérito algum da minha parte

Admitir-me no número dos seus ministros

Infunda em mim a claridade da sua luz

Para que possa celebrar dignamente os louvores deste círio

  1. Dominus vobiscum
  2. Et cum spiritu tuo
  3. Sursum corda
  4. Habemus ad Dominum
  5. Gratias agamus Domino Deo nostro
  6. Dignum et iustum est

É verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação

Proclamar os louvores de Deus invisível, Pai omnipotente

E do seu Filho Unigénito

Jesus Cristo, nosso Senhor

Com todo o fervor da alma e toda a nossa voz

Ele pagou por nós ao eterno Pai a dívida por Adão contraída

E com seu Sangue precioso apagou a condenação do antigo pecado

 

Celebramos hoje as festas da Páscoa

Em que é imolado o verdadeiro Cordeiro

Cujo Sangue consagra as portas dos fiéis

Esta é a noite

Em que libertastes do cativeiro do Egito

Os filhos de Israel, nossos pais

E os fizestes atravessar a pé enxuto o Mar Vermelho

Esta é a noite

Em que a coluna de fogo dissipou as trevas do pecado

Esta é a noite

Que liberta aqueles que hoje por toda a terra creem em Cristo

Das trevas do pecado e da corrupção do mundo

Noite que os restitui à graça e os reúne na comunhão dos Santos

Esta é a noite

Em que Cristo, quebrando as cadeias da morte

Se levanta glorioso do túmulo

De nada nos serviria ter nascido

Se não tivéssemos sido resgatados

Oh, admirável condescendência da vossa graça!

Oh, incomparável predileção do vosso amor!

Para resgatar o escravo entregastes o Filho

Oh, necessário pecado de Adão

Que foi destruído pela morte de Cristo!

Oh, ditosa culpa

Que nos mereceu tão grande Redentor!

Oh noite bendita

Única a ter conhecimento do tempo e da hora

Em que Cristo ressuscitou do sepulcro!

 

Esta é a noite, da qual está escrito

A noite brilha como o dia

E a escuridão é clara como a luz

Esta noite santa afugenta os crimes, lava as culpas

Restitui a inocência aos pecadores

Dá alegria aos tristes

Derruba os poderosos, dissipa os ódios

Estabelece a concórdia e a paz

Oh, noite ditosa

Em que o céu se une à terra, em que o homem se encontra com Deus!

Nesta noite de graça, aceitai, Pai santo

Este sacrifício vespertino de louvor

Que, na solene oblação deste círio

Pelas mãos dos seus ministros

Vós apresenta a santa Igreja

Agora conhecemos o sinal glorioso desta coluna de cera

Que uma chama de fogo acende em honra de Deus

Esta chama que, ao repartir o seu esplendor

Não diminui a sua luz

Esta chama que se alimenta de cera

Produzida pelo trabalho das abelhas

Para formar este precioso luzeiro

Nós Vos pedimos, Senhor

Que este círio, consagrado ao vosso nome

Para dissipar as trevas da noite

Arda incessantemente

E, subindo para Vós como suave perfume

Junte a sua claridade à das estrelas do céu

 

Que ele brilhe ainda quando se levantar o astro da manhã

Aquele astro que não tem ocaso

Jesus Cristo, vosso Filho

Que, ressuscitando de entre os mortos, iluminou o gênero humano com a sua luz e a sua paz

E vive glorioso pelos séculos dos séculos

R / Amém

Na homilia, o arcebispo de Vitória, dom Dario Campos que presidiu a Celebração explicou que a liturgia do sábado Santo é a mais longa de todas e que está dividida em quatro partes: 1. A liturgia da luz – A fogueira, o acendimento do círio pascal e das velas e a entrada na igreja com as luzes apagadas compõem o rito da luz. 2. A liturgia da Palavra – um resgate da história da Salvação. Entre as leituras do Antigo e do Novo Testamento canta-se o Glória, o hino de louvor à Trindade Santa. 3. O Batismo, este ano ainda por conta das mudanças e precauções durante a pandemia do coronavírus, não aconteceu o rito do batismo, mas, os fieis renovaram as promessas batismais. 4. A Liturgia Eucarística, quando Jesus se entrega em forma de pão e vinho.

Finalizando a Celebração da Páscoa, dom Dario disse: “Devemos sair daqui renovados, irradiando luz para o mundo. Não tenham medo de ir anunciar aos irmãos a Páscoa do Senhor”.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quarta-feira 5 outubro
sábado 8 outubro
domingo 9 outubro
segunda-feira 10 outubro
Nenhum evento encontrado!

Facebook