Cerca de 400 novos cristãos na Arquidiocese de Vitória

2 maio, 2023

Batismo realizado na Vigília Pascal da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Cobilândia, Vila Velha.

A Arquidiocese de Vitória ganhou no Sábado Santo cerca de 400 novos cristãos, que também são chamados de neófitos. Dentre as 91 paróquias que fazem parte do território arquidiocesano e que responderam à pesquisa encontramos batismos de catecúmenos em 55 delas durante a noite da Vigília Pascal. Em relação ao número de novos cristãos, na área Serra-Fundão registramos 94; na área Vila Velha foram 92; na área Vitória 60; na área Cariacica-Viana 58; na área Benevente 53 e na área Serrana 36.

Padre Tárcio Rosa Siqueira é Coordenador da Comissão Bíblico Catequética da Arquidiocese de Vitória e explica o que é o Catecumenato, palavra de origem grega que significa instrução: “Este termo foi adotado pela Igreja primitiva para denominar aqueles que buscavam tornar-se seguidores de Jesus e que, para isso, precisavam ser instruídos dentro do mistério de Cristo. Ainda hoje a Igreja Católica usa o termo Catecúmeno para nomear aqueles que ainda não foram inseridos dentro do povo eleito de Deus: os batizados”.

Uma curiosidade é que a noite da Vigília Pascal é o único dia – salvo os outros dias com o mandato do Bispo – que o padre pode ministrar os três sacramentos da iniciação cristã e o motivo é que na Vigília Pascal é celebrado todo o mistério da salvação de Jesus, o padre celebra o ministério da nova vida. “Vivemos pelas leituras desde a criação do mundo até a morte e ressurreição de Jesus Cristo, passando por todo o Mistério Pascal e quando se inicia, após a benção do fogo, já proclamamos a Páscoa, Cristo Ressuscitou! E o cristão não nasce, ele se torna cristão pelo Batismo. Quando é mergulhado nas águas e ressuscita ele faz um caminho da salvação”.

A mistagogia pedagógica desta vivência na Vigília Pascal se passa também na confirmação do batismo, no Sacramento do Crisma, quando o catecúmeno recebe o Dom de Deus e se coloca ao serviço, ao discipulado de Jesus, no serviço apostólico e culmina no ápice da celebração que é a Liturgia Eucarística, ao redor da mesa, ao redor do pão que faz arder o coração. “Se completa o ápice da experiência cristã, vivenciando aquilo que se experimenta, por isso o padre nesse dia pode ministrar os sacramentos, pois ele celebra todo o processo da Salvação de Cristo”, detalha padre Tárcio.

Catecumenato

Mas o caminho percorrido pelos catecúmenos até o Sábado Santo é de muita preparação. O sacerdote explica que o processo do Catecumenato do qual orienta a Santa Mãe Igreja acontece “em uma caminhada catequética dividida em etapas, sejam para crianças, adolescentes jovens ou adultos com o objetivo de termos uma experiência progressiva focada em levar a conversão do coração, a adesão a fé, a vivência comunitária e o testemunho de uma vida nova pelos sacramentos da iniciação cristã”.

O primeiro passo é o ingresso na Catequese que se denomina Pré-catecumenato com o tempo do Kerygma, o anúncio de Cristo morto e ressuscitado. “É o processo inicial da Evangelização que faz brotar a fé e o desejo pela conversão. Ao término desse tempo é realizado a Celebração da Adesão a Cristo onde o catecúmeno responde a três perguntas demonstrando que através da fé adquirida deseja ser um fiel seguidor de Cristo. Aqui recebe também a Palavra de Deus e vai iluminar a sua caminhada catequética”.

A próxima etapa é a do ‘Catecumenato’ na qual o candidato publicamente manifesta sua intenção e a Igreja o acolhe e o admite ao Tempo do Catecumenato (cf. RICA, p.36-43). “Nesse tempo o catecúmeno recebe uma catequese acerca da história da salvação e seus desdobramentos, tendo o seu ápice na reflexão da Oração do Senhor (o Pai Nosso) e no Creio (Profissão de Fé). Este, conduz o Catecúmeno a um entendimento acerca da fé que professa o cristão católico; aquele convida a uma intimidade com Deus, através da oração íntima e pessoal”.

O encerramento deste tempo é a Celebração da Eleição “donde aqueles que alcançaram a maturidade na etapa anterior são eleitos aos sacramentos da iniciação cristã: Batismo, Eucaristia e Crisma (cf. RICA, p.64-69)”. Após essa etapa inicia-se Tempo da Purificação e Iluminação no período da Quaresma, onde se busca uma purificação do coração e iluminação da certeza que Cristo é o Salvador.

“Nessa etapa são celebrados os escrutínios, que são orações da Igreja em favor dos eleitos para serem fortalecidos na luta contra o pecado e iluminados pela misericórdia de Deus perseverem no caminho de Cristo”.  E porque o caminho catequético tem seu ponto alto na Celebração da Vigília Pascal (Sábado Santo)? Por ser um dia de muita importância para os cristãos católicos, pois, esta celebração faz memória de todo o mistério da salvação por seu caráter batismal.

Na página 26 do Rito da Iniciação Cristã de Adultos é detalhado que após o Sábado Santo a Caminhada Catequética tem sua continuidade com o Tempo da Mistagogia onde “a comunidade unida aos neófitos, quer pela meditação do Evangelho e pela participação da Eucaristia, quer pela prática da caridade, vai progredindo no conhecimento mais profundo do mistério pascal e na sua vivência”.

Sendo assim, na Vigília Pascal os eleitos recebem os sacramentos da iniciação cristã: Batismo, Confirmação e Eucaristia e se tornam novos filhos da Igreja, inseridos na Comunidade de fé e devem ser testemunhas de Cristo. Ainda que tenham feito sua caminhada numa Igreja Particular, como a Arquidiocese de Vitória, eles se tornam membros da Igreja Católica Apostólica Romana em qualquer parte do mundo.

Compartilhe:

VÍDEOS

quinta-feira 18 abril
terça-feira 23 abril
quinta-feira 25 abril
Nenhum evento encontrado!

Facebook