Festa de Sant’Ana e São Joaquim

26 julho, 2021

Santa Ana ou Sant’Ana foi mãe de Maria, esposa de São Joaquim e avó de Jesus Cristo. O nome “Ana” vem do hebraico “Hanna” e significa “graça”. Santa Ana era de família descendente do sacerdote Aarão. Ela era esposa de um santo: São Joaquim que, por sua vez, era descendente da família real de Davi. Nesse casamento estava composta a nobreza da qual Maria seria descendente e, posteriormente, Jesus.

Sant’Ana se casou jovem como toda moça em Israel naquele tempo. A tradição diz que São Joaquim era um homem de posses e bem situado na sociedade. Ambos viviam em Jerusalém, ao lado da piscina de Betesda, onde hoje está a Basílica de Sant’Ana. O casal se relacionava com pessoas de todo Israel, especialmente nas festas em Jerusalém. Sant’Ana, porém, tinha um grave problema: era estéril. Não conseguia engravidar mesmo depois de anos de casada.

Em Israel daquele tempo a esterilidade era sempre atribuída à mulher, por causa da falta de conhecimento. A mulher estéril era vista como amaldiçoada por Deus. Por isso, Sant’ Ana sofreu grandes humilhações. São Joaquim, por sua vez, era censurado pelos sacerdotes por não ter filhos. Tudo isso fazia com que o casal sofresse bastante.

Sant’Ana e São Joaquim, porém, eram pessoas de fé e confiavam em Deus, apesar de todo sofrimento que viviam. Assim, num dado momento da vida, São Joaquim resolveu retirar-se no deserto, para rezar e fazer penitência. Nessa ocasião, um anjo lhe apareceu e disse que suas orações tinham sido ouvidas.

Ao mesmo tempo o anjo apareceu também a Sant’Ana confirmando que as orações do casal tinham sido ouvidas. Assim, pouco tempo depois que São Joaquim voltou para casa, Ana engravidou. Parece que através do sofrimento,
Deus estava preparando aquele casal para gerar Maria, a virgem pura concebida
sem pecado.

Segundo a Tradição cristã, no dia 8 de setembro do ano 20 a. C., Sant’Ana deu à luz uma linda menina à qual o casal colocou o nome de Miriam, que em hebraico, significa “Senhora da Luz”. Na tradução para o latim ficou “Maria”.  A vergonha tinha ficado para trás. E daquela que todos diziam ser estéril nasceu Nossa Senhora, a mãe do Salvador.

Sant’Ana e São Joaquim são de fundamental importância na História da Salvação. Não só pelo nascimento de Maria, mas também pela formação que deram à futura Mãe do Salvador. A devoção aos pais de Maria é muito antiga no Oriente, onde foram cultuados desde os primeiros séculos de nossa era, atingindo sua plenitude no século VI. Já no ocidente, o culto de Sant’Ana remonta ao século VIII, quando, no ano de 710, suas relíquias foram levadas da Terra Santa para Constantinopla, donde foram distribuídas para muitas igrejas do ocidente, estando a maior delas na igreja de Sant’Ana, em Düren, Renânia, Alemanha.

Seu culto foi tornando-se muito popular na Idade Média, especialmente na Alemanha. Em 1378, o Papa Urbano IV oficializou seu culto. Em 1584, o Papa Gregório XIII fixou a data da festa de Sant’Ana em 26 de Julho, e o Papa Leão XIII a estendeu para toda a Igreja, em 1879. Em França, o culto da Mãe de Maria teve um impulso extraordinário depois das aparições da santa em Auray, em 1623.

Tendo sido São Joaquim comemorado, inicialmente, em dia diverso ao de Sant’Ana, o Papa Paulo VI associou a esta data a comemoração de São Joaquim. Por isso, no dia 26 de julho comemora-se também o “Dia dos Avós”.
E, como forma de reviver este momento, que é um marco no calendário religioso de uma paróquia da Arquidiocese de Vitória e região, demonstrando assim a FÉ e a CULTURA de todo povo, a padroeira da cidade Marechal Floriano, saiu em peregrinação por toda a Paróquia desde o dia 14/07, percorrendo todas as comunidades: São
Francisco, São Bento, Santo Antônio, Santíssima Trindade, São Cristóvão, Nossa Senhora Auxiliadora, Frei Galvão, Bom Jesus, Santa Luzia, Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora Aparecida, Santa Rita.

Em cada comunidade foi realizada a Santa Missa com a participação alegre e fervorosa das comunidades que acolheram Sant’Ana, a Padroeira, pedindo muitas bênçãos e agradecendo pelas vitórias alcançadas por sua intercessão. O Pároco Padre Marcos Barbosa de Britto e o Vigário Padre Joseph Raj não mediram esforços em celebrar com dignidade em cada comunidade, instituindo em cada Santa Missa a unção dos enfermos aos idosos e avós.

O encerramento da peregrinação acontece hoje, quando a imagem da Gloriosa Senhora Sant’Ana retorna à Matriz Sant’Ana para que fieis paroquianos possam celebrar sua devoção a Padroeira. Hoje foi celebrada uma missas, as 8 hs da manhã e as 19h tem Missa Solene que será transmitida para toda a Arquidiocese através dos meios de
comunicação. Hoje também acontece a unção dos enfermos aos idosos e avós em dois horários específicos.

Rogamos a Sant’Ana e São Joaquim, padroeiros dos avós que renove a nossa Fé e nos ensine a amar e cuidar dos avós que tanto necessitam de cuidado e aconchego.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quarta-feira 22 setembro
quinta-feira 23 setembro
sábado 25 setembro
domingo 26 setembro
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por