“Ficai atentos e orai a todo momento”

28 novembro, 2021

Marcílio Netto I “[…] levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima” (Lc 21,28). 

Com a celebração deste I Domingo do Advento, dá-se início a um novo ano litúrgico na vida da Igreja. O tempo do Advento no início desse novo ciclo tem por objetivo preparar todos os fiéis para celebrar com dignidade a grande solenidade que se aproxima, a saber: o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O termo “Advento” deriva do latim adventus que significa precisamente “vinda/chegada”; e, por isso, a sagrada Liturgia deste primeiro Domingo convida a todos a permanecer vigilantes e preparados para a vinda do Salvador. A Igreja, como fiel esposa de Cristo, anuncia a sua vinda, quer recordando o seu nascimento ou apontando para o futuro: “então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória.” (Lc 21,27).

As leituras bíblicas que compõem a Liturgia da Palavra evidenciam a vinda do Messias como cumpridor das promessas de Deus para com o povo de Israel (cf. Jr 33,14); exortam os fiéis a tomarem consciência da santidade de vida que devem possuir (cf. 1Ts 3,13); e, sobretudo, apontam para o dia do juízo final, quando todos deverão ficar de pé diante de Deus (cf. Lc 21,36).  

O profeta Jeremias (1ª Leitura) vê a vinda do Messias como um cumprimento das promessas de Deus para com o povo de Israel: “eis que virão dias, diz o Senhor, em que farei cumprir a promessa de bens futuros para a casa de Israel e para a casa de Judá” Jr 33,14. Apesar das iniquidades, da idolatria, dos pecados e da infidelidade para com Deus, Ele permanece fiel à sua aliança, de tal forma que “quando se completou o tempo previsto, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher […]” (Gl 4,4).

É da casa de Davi que nascerá o Salvador “[…] farei brotar de Davi a semente da justiça […]” Jr 33,15, a justiça que o profeta está se referindo é a atividade salvífica, Jesus é o Salvador de toda humanidade e levará a cabo o cumprimento de todas as promessas.  

O Papa Bento XVI, celebrando as I Vésperas do I Domingo do Advento, ensina que “Deus não se fechou no seu Céu, mas inclinou-se sobre as vicissitudes do homem: um Mistério grande que chega a superar qualquer expectativa possível. Deus entra no tempo do homem do modo mais impensado: fazendo-se menino e percorrendo as etapas da vida humana, para que toda a nossa existência, espírito, alma e corpo possa conservar-se irrepreensível e ser elevada às alturas de Deus”.

A primeira vinda do Senhor foi de forma simples e humilde, numa família de Nazaré, feito homem gerado no seio da Virgem Maria, e que anunciou o Reino de Deus, convidando todos a uma sincera conversão. Em se tratando da segunda vinda de Cristo, nos narram os textos bíblicos que virá de forma gloriosa, como juiz todo poderoso, e que se manifestará sua justiça, julgando os povos com equidade (cf. Sl 9,8).

É pensando nessa vinda gloriosa que o Apóstolo Paulo invoca o auxílio de Deus sobre a comunidade de Tessalônica (2ª Leitura), para que nesta, crescendo e transbordando o amor nos corações, possa haver uma vida de santidade, “que assim ele confirme os vossos corações numa santidade sem defeito aos olhos de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos.” (1Ts 3,13).

Não cabe ao homem querer determinar o momento em que se dará a segunda vinda de Jesus, nos Atos dos Apóstolos encontramos: “Não vos compete saber os tempos ou momentos que o Pai reservou em sua autoridade […]” (At 1,7). E nesse sentido, sem revelar o dia de sua volta, Jesus conta para os seus discípulos uma série de sinais que ocorreram quando sua chegada estiver próxima (cf. Lc 21,25-28).

Em meio a tantos acontecimentos desastrosos, que servirão de sinais – nações angustiadas, com pavor, homens vão desmaiar de medo (cf. Lc 21,25-28) – eis que a libertação acontecerá porque o Senhor virá, “Então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória.” (Lc 21,27).

Na segunda parte do Evangelho de hoje, além de descrever a maneira que procederá esse dia do juízo final: “pois cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes da terra.” (Lc 21,35); Jesus apresenta ainda orientações de como se preparar para esse grande dia: com jejuns e orações. Ele não fala diretamente do jejum, mas manda tomar cuidado para que os corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez (cf. Lc 21,34), ou seja, pode-se entender que o jejum ajuda o homem a se preparar para a vinda do Senhor.

Existe uma razão, do porquê o homem precisa estar preparado e vigilante a todo momento: “Portanto, ficais atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força par escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho de Homem.” (Lc 21,36). Orar a todo momento: essa foi a recomendação feita por Jesus, assim, é por meio da oração que o homem se relaciona com Deus, ou seja, é pela união com Deus que se tem força para suportar e ficar de pé na presença do Juiz.

Portanto, o Advento é um tempo de espera, não qualquer espera, mas a da vinda de Jesus Cristo para nos libertar. Por isso, nesse itinerário procuremos viver em constante oração, recorrendo sempre à Virgem Maria, por meio do qual nos foi oferecido o Menino Jesus. Ela, discípula fiel do seu Filho, nos conceda a graça de viver esse tempo litúrgico no seio da Igreja, com grande vigilância e diligência, na esperança, no amor e na caridade, para que quando chegar o momento certo, sejamos capazes de permanecer de pé diante do Filho do Homem. 

Marcílio de Araújo Netto

Seminarista do 2º ano de Teologia.

Paróquia de origem: São Sebastião – Afonso Cláudio.

Paróquia de estágio pastoral: Virgem Maria – Itacibá – Cariacica.

BENTO XVI. Um caminho de fé antigo e sempre novo: Pregações para o Ano Litúrgico – Ano C. I vésperas do I Domingo do Advento: Encontro com os universitários dos Ateneus Romanos e das Universidades Pontifícias. Tomo III. 1ª ed. São Paulo: Molokai, 2017.  

 

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Bíblia Sagrada: tradução oficial da CNBB. 2. ed. Brasília, Edições CNBB, 2019. 

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

sexta-feira 8 julho
domingo 10 julho
terça-feira 12 julho
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por