Mensagem pelo dia do Catequista

27 agosto, 2022

Prezados catequistas,

A Cada mês de agosto, a Igreja aprofunda – com muito carinho – o tema das Vocações. Por isso, como Comunidade de Fé, rezamos para que o Senhor “envie operários para a sua messe” (Lc 10,2).

Na primeira semana, rezamos pelas vocações Sacerdotais: Bispos, Presbíteros e Diáconos. Na segunda semana, rezamos pela vocação ao Matrimônio, lembrando-nos, sobretudo de nossos pais e de nossas famílias. Na terceira semana, rezamos pelas vocações Religiosas e Missionárias, por uma Igreja em saída.

Hoje rezaremos pelas vocações leigas; que, de certo modo, perpassa todas as demais. Bispos, padres, diáconos – antes da Ordenação – desempenharam ofícios próprios para os leigos nas suas comunidades de origem. Esposos e esposas – juntamente com a missão matrimonial – também desempenham ofícios próprios dos leigos nas Comunidades. Embora seja a mais comum – pois grande parte dos fiéis cristãos católicos são chamados a esse serviço – essa é uma vocação de suma importância para a Igreja.

Os leigos e leigas, por seu Ministério próprio, conseguem alcançar realidades diversas; às quais os Consagrados têm pouca possibilidade de se fazerem presentes: o mundo do trabalho, do lazer, entre outros. Em todos esses espaços, os cristãos leigos, por seu modo próprio de ser, testemunham que Jesus Cristo é Senhor da Vida e da História.

Dentre tantas outras, uma missão laica muito importante em todos os tempos – incluindo o nosso – é a missão do CATEQUISTA. O Papa Francisco reconhece que os catequistas “são vocacionados”. Como nos lembra o Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, Dom José Peruzzo, “Nenhuma vocação se encerra no chamado”. Isso quer dizer que o Catequista é chamado a “formar na fé”. Por seu testemunho de vida, o catequista é anunciador da Boa Nova de Jesus. Mais ainda: anuncia o próprio Cristo em sua Palavra de Vida.

Dessa forma, continua D. Peruzzo, “a catequese, que parece ser lugar comum na vida de uma paróquia, poderá se tornar um lugar especial para a alegria de conhecer Jesus Cristo”. Desse a Igreja do Brasil celebra o Dia do Catequista, e inspira-nos a convocação de Jesus: “Ide… fazei discípulos… ensinai” (cf. Mt 28,19.20).

Ir, fazer (discípulos) e ensinar são três verbos (ações) importantes na vida de um Catequista. Ir evoca a disposição pessoal em seguir Jesus, em se deixar modelar por ele, tal como o barro nas mãos do oleiro. Fazer (discípulos) traz ao coração a ação própria do Catequista; que, a mandato da Igreja – e não por sua vontade própria ou por suas convicções particulares – ensina Jesus Cristo.

Caro Catequista, o “conteúdo” da Catequese é uma Pessoa; que, em uma metodologia própria, é expresso por um conteúdo programático que objetiva o encontro e a adesão a Cristo, o Senhor. Tamanha responsabilidade não pode deixar de ser valorizada pelo Magistério da Igreja. Por isso, com o Papa Francisco, a Igreja reconhece esse Ministério por meio do Documento Antiquum Ministerium, que estabelece os critérios e o itinerário para a instituição do Ministério de Catequista.

A Catequese é um itinerário para Cristo. Inicia-se na formação para o Batismo (de crianças). Esta é a primeira oportunidade de anunciar Cristo aos pais e padrinhos das crianças. Quando essa missão é bem realizada e pais e padrinhos tomam consciência do que é a vida cristã (em seus desafios e esperanças), o caminho que se percorrerá adiante já será vivenciado numa perspectiva de amizade e proximidade com o Senhor. É também nessa perspectiva que devem ser vivenciadas as preparações para a Comunhão Eucarística e para a Crisma; quando se completam os Sacramentos da Iniciação Cristã. Também nessa perspectiva, deve ser vivido o período do Catecumenato.

É importante salientar que também para os Sacramentos do Serviço (Matrimônio e Ordem) faz-se necessária boa catequese. Não se pode deixar de mencionar, por fim, que também para os Sacramentos de Cura a Catequese se faz necessária. Como se pode perceber, em todas as oportunidades da vida cristã, a Igreja nos acompanha com a Catequese.

Um modo todo especial de Catequese em nossa Arquidiocese de Vitória, é a reunião dos fiéis para os Encontros de Círculo Bíblico. Por eles, a comunidade, junto às famílias – e em suas casas – continua a ser instruída pela Palavra de Deus. Os círculos Bíblicos, não raras vezes, estão na origem de muitas comunidades. E, em seu caráter missionário, também são convite à conversão e ao retorno à família de fé (a Igreja). Pode não parecer, mas, os Encontros do Círculo Bíblico são uma excelente oportunidade para uma Catequese Adulta e Continuada. Por isso, procure sempre valorizá-los em sua Paróquia e Comunidade.

Um grande privilégio – apresentar Jesus e convidar à Comunhão com Ele e com seu Corpo Místico: a Igreja – exige também grandes responsabilidades. Ao chamado de Deus devemos sempre responder com amor. Por isso, precisamos estar preparados para a missão. Oração e Formação Continuada são fundamentais.

Queridos Catequistas, esta Arquidiocese louva e agradece a Deus por suas vidas e pelo “Sim” que vocês oferecem à Igreja e à missão evangelizadora; sobretudo, por meio da Catequese. Nosso “muito obrigado” a todos vocês!

Que a Virgem Maria, a Senhora da Penha, a Senhora da Vitória interceda por cada um de vocês e lhes proteja com seu Manto Sagrado; acompanhando-os nesta bonita missão de apresentar Jesus Cristo ao mundo.

Feliz dia do Catequista!

Pe. Claudio Alves Moreira

Membro da Coordenação Arquidiocesana para a Animação Bíblico-Catequética

Coordenador Arquidiocesano para o Círculo Bíblico

 

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

segunda-feira 3 outubro
quarta-feira 5 outubro
sábado 8 outubro
domingo 9 outubro
Nenhum evento encontrado!

Facebook