Paróquia celebra 20 anos

27 novembro, 2023

A paróquia Nossa Senhora das Graças, em Coqueiral de Itaparica/Vila Velha, celebra duas décadas de sua criação. Hoje, 27 de novembro, haverá programação ao longo de todo o dia, na comunidade matriz. A missa de encerramento acontecerá a partir das 19h30, e será presidida por Dom Andherson Franklin, bispo auxiliar da Arquidiocese de Vitória.

Criada no dia 13 de novembro de 2003, a paróquia teve o Frei Atílio nomeado como administrador paroquial até a chegada do pároco, Padre Arlindo, que assumiu a paróquia em 29 de fevereiro de 2004. A paróquia Nossa Senhora das Graças foi desmembrada da paróquia Nossa Senhora do Rosário, e hoje é composta por seis comunidades – Nossa Senhora das Graças (Matriz), Nossa Senhora da Paz, São Judas Tadeu, Santa Terezinha do Menino Jesus, São João Batista e Santa Clara de Assis.

FESTA DA PADROEIRA DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

PROGRAMAÇÃO – 27 DE NOVEMBRO

06h15 – Santa Missa 

Celebrante: Pe. Osmar de Oliveira Braido (vigário paroquial) 

11h – Ofício da Imaculada 

16h – Missa com Unção dos Enfermos 

Celebrante: Pe. Abel de Andrade (pároco) 

19h30 – Missa Solene 

Celebrante: Dom Andherson Franklin Lustoza de Souza

*A programação será realizada na Comunidade Matriz, localizada na Rua Treze, 1317 – Coqueiral de Itaparica, Vila Velha – ES, 29105-163 

 

TESTEMUNHO DEVOCIONAL 

Diversos fiéis manifestam devoção à Virgem Maria, como é o caso de Sérgio José Machado. Confira a seguir seu testemunho:

“Fui informado no 3º trimestre de de 2022 que houve um problema na válvula aórtica cardíaca. Isso gerou muita preocupação pela minha esposa, devido ao plano de saúde ser recente, ser caráter de urgência e eu estar somente com 52 anos.

Diante disso foram solicitados diversos exames, o que só fazia aumentar ainda mais toda a angústia e sofrimento da minha esposa, irmãs, parentes e amigos que muitos solícitos, a pedido da minha esposa, só faziam por pedir orações.

Era uma cirurgia cara e demorada, com risco de morte. O tempo foi ficando cada dia menor, pois o médico nos informou que o quadro de saúde era grave. Eu não sentia quase nada, apenas umas leves fisgadas, cansaço e uma fadiga na execução de algumas atividades corriqueiras.

A primeira graça se deu em função da aprovação do plano de saúde, com muita alegria e muitas orações eu via constantemente estampada a aflição e toda agonia da minha esposa. Eu sofria mais em função dela e vivenciei toda a aflição e todo sofrimento em pensar que eu poderia não mais estar presente com ela. Então, cheguei a fazer um vídeo falando que caso acontecesse algo comigo, era para ela continuar vivendo e sendo feliz.

Minha operação foi marcada para o dia 09 janeiro de 2023, um dia após completarmos 12 anos de casados. Porém, a data foi remarcada e gerou nova angústia e sofrimento. Todavia, fui informado que iria para o quarto de hospital no dia 16 de janeiro de 2023, dois dias após o meu aniversário e, no dia 17 de janeiro eu seria operado  às 08h.

Dias antes o padre Abel (nosso atual pároco), me chamou até a Paróquia Nossa Senhora das Graças e eu recebi a unção dos enfermos. Em momento nenhum eu fiquei preocupado com o que poderia acontecer, pois eu sempre acreditei na vontade de nosso Senhor Jesus Cristo. Sempre acreditei que “seja feita a Sua vontade, assim na terra como no céu”. Então, não deveria me preocupar, pois nada acontece se não for da vontade de Cristo Jesus.

Eu sempre gostei e sempre me senti, um verdadeiro filho de Nossa Senhora das Graças. É como se estivesse no colo de nossa mãe. A calma, o amor, o carinho, a fé é algo indescritível, é impossível dizer através das palavras todo fervor de Nossa Senhora das Graças.

O tão esperado dia da operação chegou. Eu e minha esposa chegamos no quarto e pude sentir toda a sua ansiedade, permaneci no quarto com um senhor idoso e as horas se tornavam dias, mas não me preocupava, pois a minha fé, as orações dos meus amigos e o incentivo da minha esposa não me deixaram esmorecer.

Entrei na sala de cirurgia, deitado como se fosse apenas “dar uma voltinha”, não houve tristeza, preocupação ou lamento. Eu apenas via as pessoas passando e me dando bom dia. Fiz minhas orações, agradeci a Nossa Senhora, a Cristo e a Deus por ter chegado até aquele momento e ter aproveitado muito. Novamente tornei a dizer: “Seja feita a vossa vontade”. Pude ver cerca de 10 pessoas. Colocaram uma agulha em meu braço e dormi nos braços da Mãe, junto com o Pai.

Acordei totalmente desorientado, por conta da anestesia e tão logo voltei a mim. Tentei tirar o mecanismo de respiração (tubo através da traqueia), que eu não estava conseguindo respirar. Fui para a UTI, com o peito recém aberto e operado, e com uma válvula aórtica nova. Isto ainda na terça-feira, dia 17 de janeiro de 2023.

Já no dia 18 de janeiro de 2023, estava na uti em recuperação e com algumas dificuldades para me ambientar. No dia 19 de janeiro de 2023, tive uma vitória: fui tomar banho, com muita dificuldade e fui informado que eu já poderia começar minha sessão de fisioterapia. A alegria enchia meu peito e pude ver minha

esposa, cansada por sempre me acompanhar, voltar com um pouco mais de alegria. No dia 20 de janeiro de 2023, senti uma melhora, tomei banho sozinho e aos poucos fui melhorando. No sábado, dia 21 de janeiro de 2023, outra vitória: o médico me tirou da UTI e pude ir para o quarto. Após vários dias comendo comida de hospital, eu pude comer um sanduíche natural. Me recordo da felicidade que foi desfrutar desse momento e pude perceber como as pequenas coisas passam a ter grande importância em nossas vidas. No dia 22 de janeiro de 2023, minha esposa pediu ao Jair, um amigo que é ministro de Eucaristia, que fosse até o meu quarto e me desse a felicidade de receber o Corpo e o Sangue de Cristo.

Eu estava de pé, me recuperando no meu quarto, com minha esposa e meu amigo. Tão logo acabamos de receber a comunhão e, eis que surge do nada o diretor do hospital e me pergunto se eu queria ir embora. Eu, prontamente, disse para o médico já querendo chorar: “só se for agora”. Ele tirou os drenos que estavam em minha barriga, verificou os meus exames e me deu alta. Minutos após receber a comunhão, um diretor de hospital, que não é de praxe fazer isso, seis dias de operado, o médico disse que minha recuperação foi excepcional. E eu voltei para casa andando seis dias após a operação. Eis a graça da mãe, por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.

Após chegar em casa, com muita alegria, fui tentar repousar e de maneira surpreendente fui acometido de grande emoção. Chorei muito naquele momento e fui em direção a minha esposa a qual relatei que algo estava acontecendo comigo naquele momento. Senti algo tão puro e singular, impossível de descrever. Pude sentir o Espírito Santo agindo sobre mim. Foi algo indescritível. Senti um calor, uma profunda emoção, eu sabia que deveria repartir tal momento com outras pessoas, eu senti um fogo tão grande em meu coração que deveria proclamar a graça recebida, eu achei que devia isto a alguém. Sabia que esse dia chegaria; o momento em que eu devia louvar e agradecer à Nossa Senhora das Graças por intercessão do Seu Santo Filho. Por várias vezes eu sentia como alguém falando pra mim: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Uma música ficou por vários dias em meu coração, “Noites traiçoeiras”. Esta música marcou e marca a verdadeira história da minha vida. Eu sou prova viva de Nossa Senhora das Graças por intermédio de Cristo Jesus. Fiz a romaria dos homens (14 quilômetros), debaixo de chuva após 86 dias de operado. 

Hoje fiquei mais de uma hora para abrir o meu computador para salvar este arquivo, pois de uma hora para outra começou a dar problema. Coloquei a música de Consagração de Nossa Senhora das Graças e ele abriu. Glória Mãe querida! Este é o meu testemunho.”

 

DEVOÇÃO A NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

A origem devocional de Nossa Senhora das Graças teve início no ano de 1830, com as aparições da Virgem Maria à piedosa e humilde Santa Catarina Labouré que na época era freira do convento das Filhas da Caridade. Ao todo, foram três aparições que aconteceram no convento das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, em Paris, na França.

A Primeira Aparição aconteceu na noite do dia 18 para o dia 19 de julho de 1830, onde Nossa Senhora revela a Santa Catarina grandes calamidades e perseguições que aconteceriam na França. A Segunda Aparição aconteceu no dia 27 de novembro de 1830. A Santíssima Virgem aparece vestida de seda branca, um véu branco desce até a barra de seu vestido. Seus pés estão apoiados sobre a metade de um globo e esmagam uma serpente. Suas mãos estão erguidas à altura do peito e seguram um globo de ouro com uma cruz em cima. Seus olhos estão voltados para o céu. Nossa Senhora apareceu-lhe mostrando nos dedos anéis incrustados de belíssimas pedras preciosas, “lançando raios para todos os lados, cada qual mais belo que o outro”.  Logo após, formou-se em torno da Virgem um quadro oval no alto, na qual estavam escritas em letras de ouro: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”. Esta foi a prova do Céu de que Nossa Senhora é imaculada e concebida sem o pecado original.

A Virgem mandou que fossem cunhadas medalhas, conforme as visões concedidas a Santa Catarina. A devoção a Nossa Senhora das Graças e a “Medalha Milagrosa”, como ficou popularmente conhecida entre os povos, espalhou-se rapidamente, bem como os milagres e prodígios, conforme prometeu a Virgem Maria àqueles que usarem devotamente a sua medalha: “Todos os que a usarem, trazendo-a ao pescoço, receberão grandes graças”. Com a aprovação eclesiástica, as medalhas foram confeccionadas e distribuídas, inicialmente na França, e mais tarde pelo mundo todo. Após alguns instantes, o quadro se vira. Sobre o reverso, Catarina vê a letra “M” com uma cruz sobreposta e embaixo dois corações: o da esquerda cercado de espinhos e o da direita transpassado por uma espada. Doze estrelas distribuídas em forma oval cercam esse conjunto.

Já em dezembro de 1830, a Virgem Maria aparece pela terceira vez, apresentando a Santa Catarina os mesmos raios luminosos, dessa vez junto ao tabernáculo, e lhe confirma sua missão de cunhar a medalha. [Fonte: Canção Nova]

ORAÇÃO DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

Ó Imaculada Virgem Mãe de Deus e nossa Mãe, ao contemplar-vos de braços abertos derramando graças sobre os que vo-las pedem, cheios de confiança na vossa poderosa intercessão, inúmeras vezes manifestada pela Medalha Milagrosa, embora reconhecendo a nossa indignidade por causa de nossas inúmeras culpas, acercamo-nos de vossos pés para vos expor, durante esta oração, as nossas mais prementes necessidades. 

(momento de silêncio e de pedir a graça desejada)

Concedei, pois, ó Virgem da Medalha Milagrosa, este favor que confiantes vos solicitamos, para maior Glória de Deus, engrandecimento do vosso nome, e o bem de nossas almas. E para melhor servirmos ao vosso Divino Filho, inspirai-nos profundo ódio ao pecado e dai-nos coragem de nos afirmar sempre como verdadeiros cristãos. 

Rezar 3 Ave Marias 

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.

Amém! 

 

Texto: Renann Siqueira

Foto: Área Pastoral Vila Velha

Compartilhe:

VÍDEOS

segunda-feira 26 fevereiro
terça-feira 27 fevereiro
segunda-feira 4 março
Nenhum evento encontrado!

Facebook