Pascom: pastoral dos discípulos missionários

30 abril, 2022

A Pascom da Arquidiocese de Vitória se reuniu pela primeira vez em 2022 na manhã deste sábado (30) no Centro Católico de Estudos, em Vitória. Mais de 100 pasconeiros participaram deste encontro presencial. A programação começou com a palestra do professor Elson Faxina, que direto de Madri, na Espanha, falou sobre sua atuação na Pascom desde os anos 70 e 80, quando ela começou a se estruturar no sentido de que comunicar é evangelizar, principalmente no lado mais pessoal, grupal, interpessoal.

“Tentávamos criar, pois tudo era experimentação. Comecei a experiência na Arquidiocese de Curitiba e naquele momento que não tínhamos muita certeza do que fazer, mas era interessante, pois foi caminhando e é um orgulho imenso ver a Pascom com essa afinidade orgânica da Igreja no Brasil inteiro. A pandemia foi triste para a sociedade, triste para a Igreja e acabou também mostrando o poder da Pastoral da Comunicação e chegou o momento que a Pascom foi desafiada a trazer soluções para a pandemia”, afirmou

Faxina apresentou duas participações uma de Cacilda Medeiros – Coordenadora da Pascom na Arquidiocese de Natal, no Rio Grande do Norte – que há mais de 20 anos é coordenadora lá e Vanusa Linhares, Coordenadora da Arquidiocese de Itapipoca, no Ceará. As duas contaram um pouco de suas experiências na pandemia e afirmaram que a Pascom foi uma heroína, e os pasconeiros foram heróis pois conseguiram fazer transmissões, lives, sem quase nenhuma experiência e muitas vezes colocando seus dispositivos pessoais à serviço da Igreja. Também foi ouvida a Irmã Élide Fogolari, que é das Irmãs Paulinas e está na Arquidiocese de Curitiba.

Se antes a Pastoral da Comunicação era serviço, hoje ela é mais ainda. E o professor destacou o quanto as outras pastorais e movimentos precisam da Pascom e ressaltou que a Pascom deve ser como a seiva em uma árvore, se a seiva não existe a árvore morre, mas ela fica lá dentro, escondida. “Eu gosto de uma Pascom que faça as pastorais aparecerem, a Igreja aparecer. Tem que ter cuidado com o ego. Cuidado quando o assessor aparece demais é porque o assessorado está aparecendo de menos e isso vale para a Pastoral da Comunicação. Não tem que aparecer para fora, nós vamos ser a seiva, nesta grande árvore que é a Igreja. A gente aparece para dentro para ajudar como o lava pés. Somos a pastoral do Lava Pés, que é se colocar a serviço da Igreja. Então muito cuidado, a gente tem o valor de ouro, mas a gente não pode reluzir como ouro”, afirmou Faxina.

E agora que a Igreja vive um novo momento, retomando suas atividades, o que precisamos nós como Igreja e Comunicação ser neste pós-pandemia? Estamos voltando a nossa vida quase normal, as missas presenciais voltaram, as pessoas voltaram para a Igreja. “A resposta é que principalmente é preciso pensar em atividades concretas, para fazer o anúncio da boa nova de Jesus Cristo com a alma. Qual o nosso horizonte, nosso dever, nosso sonho? Nosso sentido é realizar o reino de Deus. Nossa missão não é divulgar e sim transformar a sociedade e é preciso se organizar tecnicamente e pegar experiências de fora e de dentro das nossas paróquias”.

Após a palestra foi feita uma pausa para o café e quando as pessoas retornaram ao auditório do Cecates foram realizadas as oficinas. Primeiro a de texto com a jornalista Renata Rocha que de forma bem descontraída falou sobre como escrever bem. “Produzir um bom texto é expressar por meio de palavras as ideias ou conceitos sobre determinado assunto. Comunicação é relação. Como eu vou melhorar o mundo se dentro de casa a gente não consegue se comunicar, se a gente não consegue conversar? Essa melhor comunicação acontece tornar comum esse pensamento que eu tenho aqui de como é escrever bem. Texto mal escrito, resposta errada. Mensagem correta, resposta correta”.

A outra oficina da manhã foi conduzida por Wild Broad, responsável pela agência que cuida das redes sociais da Arquidiocese de Vitória. Ele fez um panorama sobre o cenário do Marketing Digital “Tudo na publicidade existe um porquê. Nesse porque é que eu estudo, incorporo ideias e tenho dados. Todo movimento que é feito em um canal digital ou rede social é metrificado e a maioria das pessoas não leem esses dados”. Ele também falou sobre a constante evolução deste mundo, os principais canais de comunicação que existem atualmente e como ser meu perfil nestes canais.

Prêmio Palma da Vitória  

Também durante esta manhã foi lançado pelo padre Anderson Gomes, Vigário Episcopal para Comunicação da Arquidiocese de Vitória, o primeiro prêmio que vai premiar os comunicadores do território da nossa Igreja. Será um reconhecimento pelo bem realizado e ao mesmo tempo uma forma de tornar conhecidas as práticas do bem que a comunicação social é chamada a prestar à sociedade. Premiar pessoas e trabalhos pastorais. Todas as informações estão aqui!

Depoimentos

Formação com conteúdos rico de informações e conhecimentos. Nos dá Pascom Paróquia Santo Antônio de Santana Galvão vila velha ficamos honrado adquirir conhecimentos que vão agregar em nosso caminhar paroquial.

Edgar Pettazzoni Junior
Paróquia São Frei Galvão

 

Participar da formação de hoje foi muito gratificante e agregou muito para nossa Pascom, para nosso conhecimento. Aprender um pouco mais das áreas de nossa Pascom, ver os assuntos abordados de forma clara e concisa, além do fato de estar em união com todas as Paróquias, essa interação nos ajuda a crescer e a evoluir, abre nossa mente e nos agrega cada vez mais.

Sthefany Bonin de Queiroz

 

Foi muito gratificante, após dois anos sem encontros de forma presencial, reencontrar agentes da pastoral e conhecer novos agentes, foi uma manhã de aprendizagem, de partilha, salmos de renovados para nossa missão.

Sérgio Renato – Representante da Pascom Área Cariacica/Viana 

 

Veja alguns registros

 

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quinta-feira 29 setembro
sexta-feira 30 setembro
sábado 1 outubro
Nenhum evento encontrado!

Facebook