SEMANA SANTA: Entender para melhor vivê-la

8 abril, 2022

Durante quarenta dias, vivemos o melhor retiro da Igreja. Nosso coração foi preparado pela Oração, Jejum e Caridade. Este, todos os anos nos é proporcionado para que possamos viver com intensidade, a Morte, Paixão e Ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. Que retiro é este? A Quaresma.

No Domingo de Ramos da Paixão do Senhor, iniciamos a Semana Santa, a semana maior, no qual se comemora a entrada de Jesus em Jerusalém, símbolo da cidade celeste, prestando honra a Cristo Rei, com uma procissão e súplica a Deus pela assembleia que a faz. O Tríduo Pascal propriamente dito, inicia na tarde da Quinta-feira Santa com a Missa da Ceia do Senhor e termina na tarde de Páscoa com as Vésperas Solenes, assim instrui o Missal Romano.

Para estar em estado de Graça e experienciar a vivencia da Páscoa, é de grande importância procurar a confissão. A Missa do Crisma, celebrada na Catedral, é um dos momentos bonitos dessa semana, onde todos os Padres renovam suas promessas Sacerdotais. O Sacerdócio nasce da Eucaristia que é o mistério da proximidade e comunhão íntima de cada indivíduo com o Senhor.  Já dizia são João Maria Vianey “O Sacerdote é o amor do Coração de Jesus”. Nessa celebração são abençoados os óleos dos Catecúmenos, dos Enfermos e Consagrado o óleo do Crisma.

A Missa Vespertina da Quinta-feira, da Instituição da Eucaristia, Cristo Sacerdote institui o Sacramento do Amor. Nesta Santa Missa também ocorre o Rito do lava-pés, onde se recorda um dos gestos de amor de Jesus Cristo. A celebração Eucarística se conclui com o translado do Santíssimo Sacramento. É recomendado que a noite seja vivida em vigília, caso razões pastorais o permitam e seja aconselhável. É o momento de estar em silêncio, rezando com Cristo.

Já na Sexta-feira da Paixão do Senhor, às três horas, acontece a celebração da qual também é possível ser mais tarde, dependendo de situações pastorais. Momento muito forte, pois nessa hora da misericórdia, os cordeiros eram imolados para a celebração da Páscoa. “Nisto conhecemos o Amor: ele deu sua vida por nós. E nós também devemos dar nossa vida pelos irmãos” (1 Jo 3,16).

Se tem uma Missa que os católicos precisamos tomar consciência para participar é a do Sábado Santo, Vigília Pascal na noite Santa em honra do Senhor. Nela recordamos que Cristo repousou no sepulcro a espera da Ressurreição! As trevas são dissipadas pela Luz de Cristo contido no simbolismo do Círio Pascal. Proclamamos a Páscoa, há os ensinamentos aos Catecúmenos, renovamos nosso Batismo, reavivamos os elementos da nova vida de filhos de Deus.

Por isso, a páscoa não é simplesmente uma festa entre outras: é a “festa das festas”, solenidade das solenidades”, como a Eucaristia é o sacramento dos sacramentos (o grande sacramento). Sto. Atanásio a denomina “o grande domingo”, como a Semana Santa é chamada no oriente “a grande semana”. O mistério da Ressurreição, no qual Cristo esmagou a morte, penetra nosso velho tempo com sua poderosa energia até que tudo lhe seja submetido” (CIC 1169).

No dia do Senhor, o Domingo, se inicia o Tempo Pascal, onde se finda com a Celebração de Pentecostes, após passar pela Solenidade da Ascensão. Nos primeiros 8 (oito) dias, a oitava da páscoa, são celebrados a Solenidade do Senhor e na Arquidiocese de Vitória é celebrado com as alegrias de Nossa Senhora da Penha, padroeira de nosso Estado do Espírito Santo.

Tenhamos uma Semana muito Santa, vivenciado no coração, na vida e proclamemos a todos os povos o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, exalando no amor aos irmãos.

Pe. Osmar de Oliveira Braido

Coordenador da Área Pastoral de Vitória

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

segunda-feira 26 setembro
quinta-feira 29 setembro
sexta-feira 30 setembro
Nenhum evento encontrado!

Facebook