Sempre é bom recomeçar

Vania Reis

[email protected]

Sempre é bom recomeçar, renovar esperanças, realizar novos sonhos. Ano Novo sempre traz esses anseios. Racionalmente são apenas outras 24 horas, mas emocionalmente a coisa é outra. Já conversamos aqui do embate fictício entre o racional e emocional. Os estudos da neurociência já nos mostraram que a falta de critérios emocionais em nossos posicionamentos frente à vida ou nas tomadas de decisão, por exemplo, pode nos levar a grandes equívocos. São as emoções corretamente acessadas que balizam a nossa racionalidade.

A visão binária de mundo, tão comum até os anos 60, separava tudo em dois extremos: certo ou errado, bom ou mau, claro ou escuro … Esse raciocínio tinha sentido quando vivíamos em um mundo mais simples, não digital, estável e previsível. As pessoas entravam em um emprego e ficavam 20/30 anos. Hoje, a realidade mudou. Dois aviões são atirados em dois edifícios, em outro hemisfério, e nossa vida muda aqui. Vem um vírus, lá do outro lado do mundo, e muda nossa vida. Edward Lorenz, do MIT, com estudos em supercomputadores provou que o futuro não é matematicamente previsível. Temos que viver numa realidade muito inconstante. Não é fácil viver nesta realidade fluída, mas, temos que aprender.

Das escolhas certas depende a nossa felicidade.  Nossas escolhas são feitas pelos nossos valores e visão do mundo. Se priorizo a vida no hoje posso ter escolhas que desconsiderem o futuro. Se priorizo o futuro posso negligenciar o presente. Se me atenho ao passado posso deixar de viver o agora.

É claro que fazemos muitas escolhas erradas, faz parte da vida. O que importa é aprender com os erros. A análise do fracasso nos permite fazer ajustes na nossa percepção para não errar de novo. Muitas pessoas quando vivenciam um fracasso, de qualquer natureza, fogem desta análise. Tentam apenas esquecer o episódio. A chance de repetir o erro é imensa.

Todo fracasso tem lições a serem aprendidas. E a primeira lição é entender que o sentimento de tristeza que vem com o fracasso é para fazer a gente parar e olhar para o que aconteceu. Não negue a tristeza. Tire proveito dela. Acesse corretamente as suas emoções. Então pergunte a si mesma diante de algo que não deu certo: o que tenho que aprender com isso? Mas lembre-se sempre do pressuposto básico de todos nós cristãos: todo fracasso que você vivencia é para lhe fazer uma pessoa melhor. Analisando o fracasso, tirando lições certas posso olhar para o futuro com mais esperança.

O ano de 2020 trouxe perdas para muitos de nós. As perdas materiais podem ter trazido sentimentos negativos que “armazenados” assim, nos farão mal. Se este foi o seu caso, faz uma experiência e olhe para o que aconteceu fazendo uma análise tirando o “quem foi o responsável” e substituindo pelo “porque aconteceu” (o que eu poderia ter feito para prevenir o problema? Estava ao meu alcance? O que posso fazer, agora, para tirar proveito do problema?). O mundo ao nosso redor é muito complexo e nunca poderemos ter controle de tudo. Analisou o problema? Então a tristeza ou depressão não são mais úteis. Jogue-as fora. Planeje seu futuro com as lições que aprendeu do passado e, agora, viva a alegria de estar vivo quando tantos não tiveram a mesma sorte. Essa é uma escolha que você pode fazer e, das escolhas certas depende a sua felicidade.  

Feliz 2021!

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
segunda-feira 5 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Segundo Dia Oitavário
terça-feira 6 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Terceiro Dia Oitavário
quarta-feira 7 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Quarto Dia Oitavário
quinta-feira 8 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Quinto Dia Oitavário
sexta-feira 9 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Sexto Dia Oitavário
sábado 10 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Sétimo Dia Oitavário
domingo 11 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Oitavo Dia Oitavário
Nenhum evento encontrado!