Suplementos vitamínicos: todos precisamos?

3 novembro, 2020

Roger Bongestab

Médico Cirurgião Geral e Nutrólogo

(CRM-ES:9827, RQE:7324 / 7889)

 

Cresce a cada dia a busca por vitaminas e minerais em farmácias de todo o Brasil e no mundo. O mercado de suplementos foi um dos que mais cresceram no momento da crise econômica mundial pela qual passa o mundo perante à epidemia do novo coronavírus. Porém, mais de 90% das pessoas que utilizam estas substâncias não necessitam de nenhuma suplementação. Mas por quê esse consumo elevado ocorre?

 

Sabidamente, no dia-a-dia, vê-se campanhas publicitárias que incitam o uso de suplementos, prometendo resolver todas as mazelas advindas do cansaço e exaustão produzidos pelo mundo moderno. Muitos não se permitem sentir-se cansados, sentir-se exauridos pela estafa da rotina e, querendo burlar a fisiologia humana, recorrem à estas substâncias. Poucos sabem, no entanto, que o excesso de algumas vitaminas e minerais destes suplementos podem levar à intoxicação e, até mesmo, ao extremo, à morte.

 

Com o medo de adoecer, vitamina C, vitamina D e zinco ganharam, nos últimos meses, destaque. Todos estes compostos podem ser obtidos pela alimentação saudável, balanceada em frutas, verduras e legumes. O consumo de um limão ao dia já é suficiente para ofertar a vitamina C que precisamos. A vitamina D podemos obter através da exposição à luz solar e do consumo de frutos-do-mar e de gema de ovo. O zinco, encontrado em castanhas e amêndoas. O excesso de vitamina C é eliminado na urina, porém o excesso de vitamina D fica armazenado no corpo, causando uma grande absorção de cálcio e acúmulo deste nos rins, levando até mesmo a parada total da filtração renal, condenando o paciente ao processo de diálise. Já o excesso de zinco, dificulta absorção de ferro e de cobre, gerando deficiência destes e, consequentemente, anemia, cansaço, queda de cabelo e fadiga.

 

Além dos exemplos acima, temos a vitamina A, a qual em excesso pode causar edema cerebral e enfraquecer o funcionamento do coração. Ambas as situações propiciam sequelas irreversíveis e, até mesmo, a morte. Poderia aqui citar tantos outros exemplos sérios como esses.

 

A melhor forma de usar suplementos é baseada na prescrição de um médico, pois este profissional consegue diagnosticar as carências nutricionais e manejar a oferta daqueles minerais e daquelas vitaminas deficientes.

 

Respeite os sinais de seu corpo. Não tente transformar-se em um super-homem ou em uma mulher-maravilha, pois somos humanos. Alimentar-se e hidratar-se bem é o primeiro passo para garantir que não haja deficiências nutricionais. Exponha-se com cuidado ao sol. Faça consulta ao seu médico periodicamente. E, mais importante, não se auto-medique e não caia nas propagandas que garantem milagres com suplementos. Acredite, pois, que estes milagres não existem. Até a próxima semana!

 

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

VÍDEOS

quinta-feira 24 junho
sábado 26 junho
domingo 27 junho
segunda-feira 28 junho
Nenhum evento encontrado!

Facebook

endereço

R. Soldado Abílio Santos, 47
Centro, Vitória – ES, 29015-620

assine nossa newsletter

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Vitória. Feito com por