Turismo Religioso: Centro de Vitória

O patrimônio histórico do Centro de Vitória é mais antigo do que os das cidades de Ouro Preto (MG) e São Paulo (SP). Turistas e moradores contam com visitas monitoradas gratuitas através do projeto Visitar desenvolvido pela Prefeitura de Vitória. Entretanto, devido a pandemia as visitações guiadas estão suspensas, mas o turista pode conhecer o patrimônio histórico do Centro da capital capixaba.

Dos 51 pontos turísticos e culturais que integram a área, sete são monitorados pelo Visitar, entre eles a Catedral Metropolitana, a Igreja do Carmo, o Convento São Francisco. As Igrejas, atualmente são lugares de procura para a oração, a piedade, e buscam se manter como centros de referência para a história de uma identidade.

Pensado para atender o munícipe e também os turistas que passam por pela capital, a prefeitura de Vitória através do Visitar Centro Histórico possui uma infraestrutura composta por placas de sinalização turística interpretativas, mapa do Centro Histórico em material bilíngue e atendimento turístico realizado por monitores que estudam o curso de turismo ou guia de turismo.

Capela Santa Luzia

É a igreja mais antiga de Vitória. Foi erguida no século XVI sobre uma rocha, em estilo colonial, com traços arquitetônicos simples e edificada na fazenda de Duarte Lemos, na sesmaria doada pelo primeiro donatário da Capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho.

Construída em pedra e cal de ostra e coberta com telhas de barro, apresenta as mesmas características das outras igrejas do Espírito Santo: nave retangular, mais longa e mais alta do que a capela-mor. Tem como peculiaridade uma única porta de acesso, coroada com um pequeno frontão, datado do século XVIII, ao lado da torre sineira.

Onde fica

Rua José Marcelino, s/nº – Centro – Ver no Mapa

Telefone: (27) 3223-0606

Catedral Metropolitana de Vitória

A Catedral Metropolitana de Vitória começou a ser construída em 1920 e foi concluída em 1970. O projeto inicial era de Paulo Motta, o mesmo que projetou o Parque Moscoso, e foi se modificando com o passar dos anos, tendo recebido colaboração de vários artistas e arquitetos.

Ela ocupou o lugar onde, até 1918, havia uma igreja chamada Igreja de Nossa Senhora da Vitória, que era a Matriz da cidade. Era uma igreja de estilo colonial, que começou a ser edificada em 1551, quando Vitória ainda se chamava Vila Nova, no período do primeiro donatário da capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho.

Com a criação da Diocese do Espírito Santo (1895) e a nomeação do primeiro bispo, Dom João Batista Correia Nery, a igreja recebeu o título de Catedral. Posteriormente, deteriorada e considerada pequena demais para comportar o crescente número de fiéis, foi demolida com o intuito de ser substituída por uma igreja maior, de acordo com o desejo de modernizar a capital do estado.

Onde fica

Praça Dom Luiz Scortegagna – Centro – Ver no mapa

Telefone: (27) 3223-0590

Horário de Visitação: 7h às 19h

Igreja do Rosário

Iniciada em 1765, sua estrutura foi erguida em dois anos pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. A igreja é afastada do núcleo original da povoação de Vitória e a entrada principal é acessada por uma extensa escadaria, na época voltada para o mar. Um cemitério foi construído ao lado da Igreja, garantindo um enterro para os irmãos negros, já que os cemitérios públicos não os aceitavam, fossem alforriados ou escravos.

Em 1833, a imagem de São Benedito foi roubada do Convento de São Francisco e levada para a Igreja do Rosário. Este fato deu início as famosas disputas entre Peroás e Caramurus, como eram denominados os membros das irmandades. Tombada como patrimônio histórico nacional, a igreja mantém as características originais da fachada colonial e o frontão barroco, além do cemitério e dos ossários em seus corredores.

Onde fica

Rua do Rosário, Cidade Alta – Centro – Ver no mapa

Telefone: (27) 3235-7444

Igreja está fechada internamente para reforma.

Convento São Francisco e Capela N. Sra das Neves

Construído no final do século XVI pelos padres franciscanos o convento foi pioneiro no abastecimento de água em domicílio na cidade. Além da igreja dedicada a São Francisco, a edificação abrangia as dependências necessárias ao monastério e a Capela da Ordem Terceira da Penitência. A esse conjunto foi acrescentado, posteriormente, um cemitério municipal, que funcionou até 1908. Próximo ao local, uma capela sob a invocação de Nossa Senhora das Neves passou a ser necrotério. A capela, em arquitetura colonial, ainda hoje permanece nas dependências do convento.

O Convento abrigou diversas irmandades, dentre elas a Irmandade de São Benedito, que se reunia na Capela da Venerável Ordem Terceira e movimentava a cidade com suas festas e procissões. Com o tempo, o Convento ficou ocioso e as autoridades civis passaram a requisitá-lo para diversas finalidades, funcionando como escola e enfermaria para atender às vitimas das constantes epidemias que atacavam a cidade na metade do século XIX. A partir daí, abrigou diversos usos como, orfanato, residência episcopal, rádio, colégio e residência das Irmãs Carmelitas. Atualmente abriga a Cúria Metropolitana e diversas entidades ligadas a Igreja Católica.

O frontispício, reformado em 1744 e 1784, foi o que restou do conjunto arquitetônico original do Convento São Francisco. Tombado pelo Conselho Estadual de Cultura em 1984, demarca o espaço do que foi o primeiro Convento Franciscano construído na Região Sul do Brasil Colônia.

Onde fica

Rua Soldado Abílio dos Santos, 47 – Cidade Alta – Ver no mapa

Telefone: (27) 3223-6711

Horário de Funcionamento: 9h às 16h (Durante a pandemia)

Igreja São Gonçalo

Conhecida como a igreja dos casamentos duradouros, o local abrigou a capela construída pela Irmandade de Nossa Senhora do Amparo e da Boa Morte. Em 1715, a irmandade solicitou a construção de uma nova igreja, consagrada a São Gonçalo Garcia. Em 2 de novembro 1766, com a presença do Visitador Diocesano, padre Antônio Pereira Carneiro, e do vigário da vila de Vitória, Antônio Xavier, a igreja foi consagrada a este santo português.

No século XIX, a Irmandade torna-se Confraria. Posteriormente, a Confraria de Nossa Senhora da Boa Morte e Assunção tornou-se uma Arquiconfraria, sendo a única a receber esse título em Vitória. Diante da desapropriação da Igreja de São Tiago e da demolição da Igreja Matriz, a igreja de São Gonçalo serviu como sede paroquial e exerceu as funções de Catedral. Sua fachada e altar-mor, com entalhes em madeira pintados a ouro, possuem características da arquitetura barroca. Foi tombada pelo IPHAN em 1948.

Onde fica

Rua São Gonçalo – Centro – Ver no mapa

Telefone: (27) 3233-2856

Igreja do Carmo

O Convento de Nossa Senhora do Monte do Carmo foi fundado em 1682 por padres carmelitas. O conjunto era formado pelo convento propriamente dito, pela Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo e pela Capela da Ordem Terceira. Todos possuíam estilo colonial, com linhas barrocas.

Em 1872, o edifício foi assumido pelo governo provincial que o utilizou em várias funções, inclusive a de quartel militar. Entre 1910 e 1913 passou por reformas ganhando mais um andar, enquanto a igreja recebia uma roupagem eclética, a influência do estilo gótico. A capela que ficava ao lado da igreja foi demolida em 1930. Em 1984 sua fachada foi tombada pelo Conselho Estadual de Cultura. A Igreja dispões de imagens em seus altares e quadros da Via-Crucis.

Onde fica

Ruas Coronel Monjardim e Coutinho Mascarenhas, Centro – Ver no mapa

Telefone: (27) 3223-0158

Horário de funcionamento: 8h às 17h

O Visitar tua também em outras frentes de trabalho com o envolvimento das comunidades, difusão cultural, pesquisa e resgate da história. Para saber o horário de funcionamento das Igrejas o telefone de contato é: (27) 3183-9514 e através do e-mail: [email protected]

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
segunda-feira 5 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Segundo Dia Oitavário
terça-feira 6 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Terceiro Dia Oitavário
quarta-feira 7 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Quarto Dia Oitavário
quinta-feira 8 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Quinto Dia Oitavário
sexta-feira 9 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Sexto Dia Oitavário
sábado 10 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Sétimo Dia Oitavário
domingo 11 abril
4:00 pm - 6:00 pm Missa Oitavo Dia Oitavário
Nenhum evento encontrado!